GT3 Brasil: O quinto Ferrari chega à categoria

Depois de correr em Tarumã (RS) com um Dodge Viper Coupé, Sergio Laganá e Marcelo Fernandes aceleram um modelo F430 na prova de Curitiba (PR).

 


Os pilotos Sergio Laganá e Marcelo Fernandes optaram por trocar o seu Dodge Viper Coupé por um Ferrari F430, modelo semelhante aos que disputaram as primeiras posições da prova inaugural do torneio, realizada há três semanas no circuito gaúcho de Tarumâ (RS). Os F430 estiveram entre os mais ferrenhos adversários do Lamborghini Gallardo da dupla Paulo Bonifácio e Alceu Feldman – que venceu a primeira corrida da rodada dupla ― e do Viper de Andreas Mattheis e Xandy Negrão, que conquistaram a segunda prova do encontro na veloz pista gaúcha.


 “A opção pelo Ferrari F430 foi, antes de tudo, realização de um sonho, mas também teve um lado técnico nessa decisão”, afirma Laganá. “Até o ano passado eu competia no Campeonato Maserati. Gostei e quando surgiu o Brasil GT3 não tive dúvida em mudar de categoria. Minha intenção era comprar um Dodge Viper para aprender um pouco sobre a competição, me adaptar aos novos limites de velocidade, enfim, usar essa primeira temporada como uma fase de aclimatação com o campeonato. Somente depois passar para o carro dos sonhos. Mas depois da primeira corrida me deparei com um pequeno problema de ordem pessoal: aprendi a correr no Maserati com o câmbio no volante, tipo F1, e estranhei as mudanças de marchas no Viper que são feitas por uma alavanca localizada no chão do carro. Claro que com um pouco de treino eu me acostumaria, mas nesse momento soube que estava chegando mais um Ferrari F430, que também tem câmbio com mudanças feitas por intermédio de “borboletas” localizadas atrás do volante. Não tive dúvidas, antecipei meu sonho de guiar um bólido desses nas pistas já para a segunda rodada dupla do campeonato”, detalha o piloto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *