História: Equipe Surtees

O inglês John Surtees é o único piloto até hoje a conquistar os mundiais de motociclismo e de Fórmula-1, onde foi campeão em 1964, com a Ferrari. Em 1966 ele constituiu uma equipe na Can-Am, categoria de carros protótipos que se tornou muito popular na América do Norte e se desligou da escuderia italiana, logo após vencer o GP da Bélgica, por divergências quanto á distribuição dos carros, passando a pilotar para a equipe Cooper. Surtees foi campeão da Can-Am em 1966.
Em 1967 e 1968 ele pilotou para a Honda, ao mesmo tempo em que entrava na F-5000, como construtor, conquistando bons resultados. Depois de guiar um BRM em 1969, veio o grande passo, a construção do primeiro Surtees de F-1, para a temporada de 1970. Baseados em Edenbridge, o carro não ficou pronto para o início da temporada, então Surtees comprou um McLarem M7A, para a disputa dos primeiros GPs do ano, sendo 6º lugar no GP da Holanda.
No GP da Inglaterra, o Surtees TS7, com John Surtees como único piloto, fez sua estréia na F-1, o primeiro bom resultado veio no GP do Canadá, onde Surtees terminou em 5º lugar. Derek Bell pilotou um segundo Surtees no GP dos EUA, terminando em 6º lugar. Este primeiro ano rendeu a equipe 2 pontos e o 8º lugar entre os construtores.


Em 1971 John Surtees fez um acordo com Rob Walker, que entrou com um patrocínio para o seu carro. Rolf Stommelen trouxe outro patrocínio e assumiu o segundo carro. Durante o ano, diversos outros pilotos guiaram um terceiro Surtees, como Brian Redman e Mike Hailwood, que conseguiu o melhor resultado do ano para a equipe, o 4º lugar no GP da Itália. Stommelen e Surtees marcaram 3 pontos, cada, no campeonato. Nos construtores, oito pontos e a 8º colocação.



Surtees decidiu se aposentar e a parceria com Rob Walker, em 1972, prosseguiu, os pilotos inscritos foram o inglês Mike Hailwood e o australiano Tim Schenken. O italiano Andrea de Adamich trouxe um patrocinador e assumiu um terceiro carro, não oficial, da equipe. A temporada trouxe bons resultados, principalmente com Hailwood, que marcou 13 pontos, tendo como melhor resultado o 2º lugar no GP da Itália, terminando em 8º entre os pilotos. Schenken marcou 2 pontos e de Adamich 3. Nos construtores, 18 pontos e o 5º lugar. John Surtees se despediu da F-1 no GP da Itália, depois de alinhar em 18º e abandonar na 20º volta. Surtees decidiu neste ano também participar da F-2, vencendo o campeonato com Hailwood, vencendo também o Europeu de F-5000, com Gijs Van Lennep, este foi o ultimo ano de participação da Surtees na F-5000.



O brasileiro José Carlos Pace foi contratado como companheiro de Hailwood em 1973. Hailwwod decepcionou não marcando nenhum ponto durante o ano, Pace marcou 7 pontos sendo 3º lugar no GP da Áustria. O brasileiro Luis Pereira Bueno disputou o GP do Brasil com um Surtess, este foi seu único GP oficial na categoria. Nos construtores foram 7 pontos e o 9º lugar. No final do ano a parceria com Rob Walker chegou ao fim, assim como a participação na F-2.



Mike Hailwwod deixou a equipe, se transferindo para a McLarem, em 1974, e o alemão Jochem Mass foi contratado para ser parceiro de Pace, o brasileiro conseguiu o único bom resultado do ano, o 4º lugar no GP do Brasil, deixando a equipe depois do GP da Suécia, se transferindo para a Brabham. Com a saída de Pace diversos pilotos, como os austríacos Dieter Quester e Helmuth Koinnig guiaram o Surtees no restante da temporada, Koinnig, de 25 anos, morreu em acidente durante o GP dos EUA, depois que seu Surtees bateu na 9º volta. Mass não pontuou em nenhuma etapa, se transferindo para a McLarem depois do GP do Canadá. Nos construtores apenas 3 pontos e o 11º lugar. Neste ano a Can-Am sofreu um revés tendo o campeonato paralisado.



John Watson é o único piloto para a temporada de 1975, mas o irlandês não marca nenhum ponto, se transferindo para a Penske depois do GP da Áustria, antes já havia disputado o GP da Alemanha pela Lotus. Dave Morgan pilotou um segundo Surtees no GP da Inglaterra. Com um controverso patrocínio, de uma marca de preservativos, o australiano Alan Jones assumiu o carro em 1976 conseguindo alguns bons resultados como o 4º lugar no GP do Japão e conquistando 7 pontos ao final do ano. O americano Brett Lunger, veterano da guerra do Vietnã, conduziu um segundo carro em dez GPs, sem nenhum bom resultado. O veterano francês Henri Pescarolo formou uma equipe, chamada Team Norev, utilizando um Surtees TS 19, mas o melhor que conseguiu foi um 9º lugar na Áustria. A inglesa Divina Galina também usou um Surtees, na sua tentativa, frustrada, de se classificar para a largada do GP da Inglaterra. Os sete pontos conquistados por Jones, renderam a equipe o 10º lugar entre os construtores.



Vittorio Brambilla assinou com a equipe para a temporada de 1977, trazendo o patrocínio de uma fábrica de ferramentas, Jones se transferiu para a Shadow. O segundo carro foi guiado por diversos pilotos durante o ano, como o austríaco Hans Binder e o australiano Vern Schuppan. Brambilla marcou 6 pontos no campeonato tendo o 4º lugar no GP da Bélgica como melhor resultado. Esses seis pontos renderam a equipe somente o 11º lugar entre os construtores.



Brambilla continuou na equipe em 1978, tendo como companheiro de equipe, em alguns GPs, o inglês Ruppert Keegan. A temporada foi muito ruim com o agravante de seus dois pilotos terem sofridos sérios acidentes, Keegan quebrou o pulso nos treinos para o GP da Alemanha e Brambilla se envolveu no acidente que vitimou o sueco Ronnie Peterson no GP da Itália, o italiano sofreu vários ferimentos. Três jovens pilotos foram inscritos em substituição a Brambilla e Keegan, nas ultimas provas do ano, os italianos Carlo Franci no GP da Itália, e Beppe Gabbiani, no EUA-Leste e Canadá, mas ambos não se classificaram para a largada e o francês René Arnoux, que disputou as duas ultimas corridas da história da Surtees, EUA-Leste e Canadá. O sexto lugar de Brambilla na Áustria foi o único ponto marcado pela equipe no ano, terminando sua participação na F-1 em 13º lugar entre os construtores.



Em novembro de 1978 Surtees anunciou sua saída da categoria, devido á falta de recursos, o novo modelo TS21 acabou sendo utilizado em corridas regionais na Inglaterra. A Surtees disputou 117 GPs, com um segundo e um terceiro como melhores resultados em corridas, quatro melhores voltas e 53 pontos conquistados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *