Indy 500: Números das 500 Milhas consolidam a IRL como categoria ‘top’

Corrida mais tradicional do mundo chega à 90ª edição com seis pilotos do Brasil no grid. Largada para as 200 voltas será dada às 14h de Brasília.


A história do automobilismo mundial viverá um capítulo importante neste domingo (28), com as corridas de carros mais tradicionais de que se tem notícia movimentando dois dos principais campeonatos existentes. O GP de Mônaco dá seqüência ao Mundial de Fórmula 1, com a etapa menos veloz e mais charmosa do calendário. Na Fórmula Indy, as atenções estão voltadas à 90ª edição das 500 Milhas de Indianápolis.

Os mais de 500 mil ingressos disponibilizados pela organização do evento foram vendidos há meses. O interesse do público norte-americano – e de turistas de vários países que procuram o médio-leste dos Estados Unidos para assistir à corrida – e a notável repercussão da Indy 500 em todos os continentes evidencia o potencial mantido pela categoria, mesmo diante das sucessivas especulações acerca de uma eventual fusão com a Fórmula Mundial.

Aproximando-se da marca de um século – a primeira edição, vencida por Ray Harroun, aconteceu no ano de 1911 –, a Indy 500, que nos anos 50 compôs o calendário da Fórmula 1, é cercada de particularidades. Os treinos são iniciados quase um mês antes da prova e o grid é definido a duas semanas da largada. A antecedência, neste ano, foi reduzida para uma semana diante dos sucessivos adiamentos motivados pelas chuvas constantes.

Mas, se a chuva mutilou a programação de treinos, a tendência é de que a corrida seja disputada sob forte calor. Os serviços de meteorologia indicam que as temperaturas em Indianápolis na tarde do domingo devam chegar a 35 graus, apenas um a menos que o recorde histórico verificado na região do Estado de Indiana para o mês de maio. Sob tais circunstâncias, a durabilidade dos carros e o preparo físico dos pilotos tornam-se trunfos ainda mais importantes.

Seis pilotos dividirão a torcida do público brasileiro durante as 200 voltas da prova. Hélio Castroneves, Tony Kanaan, Vitor Meira e Felipe Giaffone, que têm atuação regular na temporada de 2006 da Fórmula Indy, ganham em Indianápolis a companhia dos compatriotas Aírton Daré, que esteve no grid nas quatro edições compreendidas entre 2000 e 2003, e Thiago Medeiros, que faz na principal etapa do calendário sua primeira participação na categoria.

Com seis pilotos inscritos, o Brasil aproxima-se da participação recorde na Indy 500. Em 2002, ano do bicampeonato de Castroneves, também foram à pista Daré, Bruno Junqueira, Giaffone Gil de Ferran, Raul Boesel e Kanaan. Na edição de 2003, a Indy 500 contou igualmente com meia dúzia de brasileiros. A diferença entre a corrida deste domingo e a de três anos atrás é a presença de Medeiros no time brasileiro, que não conta mais com De Ferran.

Pela importância do evento, poucos o associam à disputa do campeonato. A Indy 500 é a quarta das 14 etapas da temporada da Fórmula Indy, que tem Hélio como líder, com um segundo lugar e duas vitórias. O brasileiro da Penske tem 146 pontos, 42 a mais que o vice-líder inglês Dan Wheldon, vencedor em Indianápolis no ano passado. Kanaan é o quinto colocado, com 87. Meira, com 64, aparece em oitavo. O décimo é Giaffone, com 61 pontos.

A largada para a 90ª edição das 500 Milhas de Indianápolis será dada às 14h de Brasília. A Rede Bandeirantes e o canal por assinatura Bandsports abrirão a transmissão simultânea do evento 30 minutos antes da bandeira verde, direto do Indianapolis Motor Speedway. A corrida terá, no televisionamento para o Brasil, narração de Luciano do Valle, que contará com o comentário de Willy Herrmann e com o trabalho de reportagem de Celso Miranda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *