Indy: Vitor Meira diz que A.J. Foyt Racing está no caminho certo

Piloto brasileiro entende que 11º lugar no GP de Long Beach traduz avanço da equipe e entende que progresso está ‘se encaminhando’.

Vitor Meira não esconde a satisfação com os resultados do trabalho que realizou com a A.J. Foyt Racing no último fim de semana, durante a quarta etapa da temporada 2010 da Fórmula Indy. O piloto brasileiro foi 11º colocado na prova no circuito de rua de Long Beach, na Califórnia, encerrada já na noite brasileira de domingo (18). Os vencedor foi o norte-americano Ryan Hunter-Reay, que dividiu o pódio com o inglês Justin Wilson e o australiano Will Power.
“Os efeitos daquilo tudo que a gente vem fazendo desde o comecinho do ano estão aparecendo”, observa Meira. “O 11º lugar na corrida, pela condição em que a gente está no momento, é um resultado muito bom. Foi um resultado que a equipe conquistou de fato, usando o que o carro tinha a oferecer. Não houve uma estratégia, um acaso que atrapalhasse ou ajudasse, foram só quatro voltas em bandeira amarela. Foi um resultado extremamente honesto”, observou.
Meira chamou atenção para a evolução que a A.J. Foyt Racing obteve no último ano. “Em relação à corrida do ano passado, algumas equipes conseguiram melhorar dois décimos (de segundo) por volta, ou três décimos, e outras pioraram dois ou três décimos. Nós melhoramos um segundo”, revelou. “O nosso progresso foi sensível no último ano tomando essa pista por base, até porque havia margem para melhorarmos. Estamos conseguindo aproveitar essa margem”.
Nos treinos classificatórios em Long Beach, Meira obteve a 14ª posição. “Foi nossa melhor posição de largada no ano”, lembrou. “É claro que o trabalho de todos na equipe é buscar o progresso. Ainda não é tudo que a gente deseja, mas é importante o resultado do trabalho aparecer. Principalmente porque agora, com a fase dos ovais, todo o trabalho técnico vai ter uma mudança de foco”, comentou o piloto, que agora está em 11º na classificação da Indy.
As quatro primeiras corridas da Indy aconteceram em traçados mistos, os de São Paulo, St. Petersburg, Barber e Long Beach. As quatro próximas corridas ocorrerão nos ovais de Kansas, Indianápolis, Texas e Iowa. “As pistas ovais são a especialidade do Jeff Briton, que é o engenheiro da equipe. O que foi feito até aqui vai servir para quando voltarmos aos mistos, mas a tendência é de que a gente vá conseguir um progresso ainda maior nos ovais”, acredita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *