Indy500: Etanol de cana-de-açucar presente nos 33 carros da Centenária 500 Milhas de Indianápolis

Todos os carros do grid da maior festa do automobilismo mundial usam o combustível renovável brasileiro

Além dos quatro pilotos que representam o Brasil nas pistas, todos os 33 que vão disputar a histórica edição de 2011 das 500 Milhas de Indianápolis, que completa 100 anos, usam o etanol brasileiro em seus carros. A Fórmula Indy se preocupa cada vez mais em ser uma categoria verde e, por isso, todos chassis Dallara usam a energia renovável brasileira.

Na Fórmula Indy é o Brazilian Sugarcane Ethanol, que estreou na categoria em 2006 e atinge o auge na maior festa do automobilismo mundial, o Centenário das 500 Milhas de Indianápolis, que acontece neste domingo (29), sendo o combustível oficial da categoria.

Em 2012, a Fórmula Indy terá uma renovação com um novo chassi e a entrada da Chevrolet e Lotus, que se juntam a Honda, e todos também vão usar o etanol brasileiro em seus propulsores. A Honda terá o Turbocharge V6, a Chevrolet o twin-turbo V6 e a Lotus Turbo V6, 2,2 litros, todos com turbo e a nova especificação para os carros de 2012.

Duas equipes já anunciaram os planos para 2012. A Ganassi, atual campeã, vai continuar sendo impulsionada com motores Honda movido a sugarcane. Enquanto que a Penske terá os motores Chevrolet nos três carros a partir do ano que vem.

O novo carro de 2012 está exposto no Indianápolis Motor Speedway e deve ser testado na primeira semana de Agosto. Agora, já estão sendo avaliados no túnel de vento da fábrica na Itália. O chassi é feito pela Dallara, em sua nova sede em Indianápolis, mas cada equipe pode desenvolver ou comprar os kits aerodinâmicos, respeitando as regras e o teto máximo em dinheiro estabelecido pela Indycar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *