IndyCar: Brasileiros têm mais um dia de treinos para as 500 Milhas

A tarde de sexta-feira começou com o céu nublado, mas mesmo assim atraiu 31 carros para a pista de Indianápolis, último dia antes da classificação para as posições de 23ª a 33ª no grid da 93ª prova das 500 Milhas. Os pilotos brasileiros, já classificados, puderam testar os seus carros em condições de corrida, usando o tráfego para saber como se comportam.

O piloto neozelandês Scott Dixon (Target Chip Ganassi) foi o mais rápido com o a velocidade de 358.5504 km/h, seguido do piloto brasileiro, Mário Moraes (KV), 358.1175 km/h. O norte-americano, Townsend Bell (KV), que ainda não se classificou ficou com a terceira posição com a velocidade de 357.4882 km/h.

 

O paulista Mário Moraes (KV), que ontem fez a melhor velocidade da pista, continua em sintonia com o seu carro e a equipe KV continua fazendo modificações para chegar no melhor acerto de corrida. Moraes foi o segundo, completando 98 voltas e com o tempo de 40s4440.

 

O piloto de São Paulo, Hélio Castroneves (Penske) deu 105 voltas na pista, mantendo seu Penske sempre entre os primeiros da tabela, terminando o dia. O seu carro sempre constante, eles estão trabalhando em situações diferentes para saber o melhor acerto no dia 24. O carro número 3 sempre virando bem durante toda à tarde, ele ficou com a quarta posição e teve o tempo de 40s.5955.

 

O piloto de Salvador, Tony Kanaan e a equipe Andretti Green conseguiram melhorar o carro número 11, mas ainda continuam na busca do acerto ideal para o dia da corrida. Ele Kanaan deu 92 voltas, virando com 40s7380, e ficando com a nona colocação.

 

Indiferente às colocações de hoje, o mineiro Raphael Matos e a sua equipe Luczo Dragon, trabalharam com calma, mas intensamente para a corrida. Eles procuraram andar junto bastante com o tráfego para verificar o equilíbrio do carro. Matos ficou bastante tempo na pista, dando 101 voltas e virou virando em 40s7644 na sua volta mais rápida, o 12º entre os pilotos.

 

O piloto de Brasília, Vitor Meira (A.J. Foyt) não entrou na pista hoje, pois o motor do seu carro foi utilizado pelo seu companheiro de equipe A.J. Foyt IV.

 

Amanhã, os pilotos retornam os treinos, às 11h15 (de Brasília), para uma sessão livre de uma hora de duração. Os testes classificatórios para as últimas vagas começam, às 13h (horário de Brasília). Treze pilotos disputam 11 vagas restantes no grid. Quem não conseguir se classificar no sábado terá mais uma chance no domingo, quando o último colocado pode ser substituído por um carro mais veloz.

 

A 93ª prova das 500 Milhas de Indianápolis será no dia 24 de maio, no Autódromo de Indianápolis e será.

 

As 500 Milhas de Indianápolis serão transmitidas pelo canal de TV à cabo Band Sports, a partir das 13h30 horário de Brasília e a partir das 13h45 pela TV Bandeirantes.

 

Raphael Matos – “O dia foi produtivo. Trabalhamos o carro com acerto de corrida, melhoramos o acerto hoje a tarde. Eu tive oportunidade em andar num pelotão com quatro carros e deu . Deu para comparar bem o equilíbrio do meu carro em relação aos outros pilotos. Estou satisfeito com equilíbrio e acho que a gente têm um carro forte para o dia da corrida, mas e ainda temos espaço para melhorar.”

 

Mário Moraes – “A nossa equipe têm trabalhado muito bem nessa semana, mais do que na semana passada. Como eu já havia falado ontem, estamos continuando a trabalhar o acerto para a corrida, o carro está muito bom e bem acertado. Mas vamos voltar para a pista amanhã e tentarmos mais algumas mudanças, para ver se pode melhorar, mais ainda. Hoje fizemos bastantes simulações de corrida, a gente andou com vários carros juntos. Trabalhamos com mais pressão aerodinâmica do que ontem e o carro continua muito bom.”

 

Hélio Castroneves – “Hoje decidimos andar bastante, nós tentamos trabalhar em diferentes acertos e com situações diferentes. Caso aconteça algum problema e temos que mudar os planos para o “B” ou “C” nós estaremos preparados para qualquer tipo de situação. O segredo daqui é esperar o inesperado, então é isso que estamos fazendo, trabalhando de formas diferentes, para quando chegar o dia da corrida nós já sabemos o que fazer.”

 

Tony Kanaan – “Está a mesma coisa é até difícil de falar. Estamos trabalhando no carro, deu uma melhorada de ontem para hoje, mas ainda não está do jeito que eu quero. Temos mais dois dias para trabalhar e é continuar trabalhando no acerto de corrida.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *