IndyCar: Em entrevista com os vencedores de 2011, Dario foge do troféu

Tradição nas entrevistas coletivas da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, a foto ao lado do Troféu Bandeirante foi evitada pelo atual campeão

Três corridas, três vencedores diferentes. O atual campeão, o escocês Dario Franchitti, venceu em Saint Petesburg com a Ganassi; o australiano Will Power, atual vice-campeão, ganhou em Sonoma pela Penske; e o britânico Mike Conway, da Andretti, recebeu a bandeirada em primeiro no GP de Long Beach. Os três pilotos concederam entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (29) no complexo que abriga o Circuito Anhembi, palco da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé.

Eles concordaram em um ponto: a cada corrida, a competição na Fórmula Indy torna-se mais e mais apertada. Conway chega ao Brasil como o vencedor da última corrida, e tudo que ele espera é manter a boa fase. “É muito bom chegar como vencedor, mas temos de manter o bom momento. Se queremos terminar em uma posição alta no campeonato, temos de ser consistentes e chegar sempre nos pontos, trabalhar duro. Vencer é difícil, mas é ainda mais complicado vencer novamente. A Fórmula Indy está cada vez mais competitiva, e nunca vai ser fácil”, disse.

Para Will Power, vice-líder do campeonato, o objetivo é manter-se próximo da liderança. “O começo de temporada foi muito bom, principalmente nas duas corridas iniciais, mas em Long Beach eu fui tocado pelo Hélio (Castroneves, seu companheiro de equipe na Penske). Mesmo assim, consegui terminar entre os dez primeiros, o que é um fato positivo, pois são pontos a mais na disputa. Tenho de me manter perto do Dario e honestamente acredito que essa corrida em São Paulo vai ser a melhor até o momento, porque aqui é possível fazer mais ultrapassagens, já que temos longas retas. Vamos ver muita ação”, apontou o vencedor da edição 2010 da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé.

Quem menos tinha a reclamar era Dario Franchitti, que classificou seu início de campeonato como “nada mal”. “Ainda precisamos trabalhar melhor nos treinos classificatórios. Em Barber foi bem difícil, mas ainda assim foi legal. Em Long Beach nós demos um passo adiante no acerto do carro do sábado para o domingo”, lembrou.

Os três demonstram empolgação em voltar à capital paulista e, assim como os pilotos brasileiros, apostam que o show será ainda melhor para o torcedor. “O sentimento de estar aqui novamente é de empolgação. A pista ficou boa, e acho que vai ficar ainda mais rápida que no ano passado. Estamos aqui para vencer a corrida, mas não importa o que aconteça, vai ser um ótimo show. Gostamos de vir ao Brasil, há muitos fãs aqui, talvez até porque muitos brasileiros já correram na Indy. A reação deles é fantástica, são apaixonados, e vencer aqui dá uma sensação ótima”, analisou Dario.

Power tem ótimas memórias de São Paulo. Foi aqui que o australiano iniciou no campeonato uma fantástica série de duas vitórias e mais duas colocações entre os quatro melhores nas quatro corridas iniciais. “São lembranças muito boas, de uma gente muito entusiasmada. O que eu gosto nessa pista é que é possível ultrapassar; temos duas retas bem longas seguidas de uma chicane e uma curva fechada. É uma das melhores pistas de rua de todo o calendário”, elogiou.

Os mesmos pontos destacados pelo australiano foram reforçados por Conway. “São tantas as chances que você pode ultrapassar um concorrente na reta principal e ser ultrapassado por ele na reta oposta. Isso aconteceu bastante no ano passado”, afirmou.

Troféu Bandeirante
A exemplo da coletiva de ontem (quinta-feira, dia 28), o Troféu Bandeirante, destinado ao vencedor da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, estava sobre o palco onde os pilotos concediam entrevista. Como parte do protocolo, no fim da entrevista, os pilotos posaram para fotos ao lado da peça, desenhada e executada pelo artista plástico Paulo Soláriz. Na quinta-feira, Tony Kanaan se recusou a tocar no troféu, dizendo que trazia má sorte. Hoje, foi a vez de Dario Franchitti não querer chegar nem perto da peça: “Eu ainda não o ganhei. Foto com troféu é no pódio. Caso contrário, traz má sorte”, disse, arrancando risos dos jornalistas. E a foto dos três foi feita sem a presença do troféu entre eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *