IndyCar: Em Saint Petersburg, Vitor Meira destaca o desgaste do equipamento e também do piloto

Após o pódio na São Paul Indy 300, brasiliense vai em busca da regularidade.

Depois de sete temporadas na Fórmula Indy, Vitor Meira teve seu melhor inicio de ano na categoria após a conquista do inédito pódio no Brasil e inédito também por subir ao pódio pela primeira vez em uma pista de rua. Em suas 97 largadas anteriores, o piloto da equipe A. J. Foyt conquistou quatorze pódios, mas todos em ovais ou pistas mistas.

Em sua segunda temporada pela equipe do lendário A. J. Foyt, o brasiliense conta um pouco como é o desgaste do carro em uma pista de rua. “As corridas em circuitos de rua são mais difíceis para a caixa de câmbio do carro devido aos bumps que o piso destes traçados apresentam. Você faz várias curvas em segunda marcha o que causa muito desgaste do equipamento. Não se deve usar muito o freio das rodas traseiras, pois pode prejudicar nas trocas de marchas quando você faz reduções”, comentou Vitor Meira.

Mas Vitor Meira diz que a pista de Saint Petersburg não causa desgaste só no carro, mas sim também no piloto. “A pista exige muito fisicamente do piloto porque quando você começa os trabalhos na sexta-feira ela ainda não está emborrachada. Durante a corrida, a pista já vai estar emborrachada, mas a direção fica mais pesada devido ao tanque cheio. É quando as coisas começam a ficar difíceis”, disse o terceiro colocado no campeonato com 35 pontos.

A segunda etapa do campeonato da Fórmula Indy 2010 acontece neste domingo a partir das 16h45 com transmissão ao vivo pelo canal por assinatura BandSports. A Rede Bandeirantes de televisão irá mostrar alguns flashes da corrida durante sua programação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *