IndyCar: Helio Castroneves vence em São Petersburgo

Helio Castroneves (Penske) venceu neste domingo (25/03), o GP de São Petersburgo, etapa de abertura da temporada. Foi a primeira vitória do brasileiro desde o GP do Japão de 2010. O neozelandês Scott Dixon (Ganassi) e o norte-americano Ryan Hunter-Reay (Andretti Autosport) completaram o pódio.

Com uma estratégia perfeita de paradas nos boxes, para troca de pneus e reabastecimento, Castroneves superou Dixon, por fora da primeira curva da 72ª volta, pela segunda posição.

Três voltas depois ultrapassou o norte-americano JR Hildebrand (Panther), assumindo em definitivo a liderança. Daí em diante o tri-campeão das 500 Milhas de Indianápolis foi volta a volta aumentando a sua vantagem, até receber a bandeirada com 5s5 de vantagem sobre Dixon, ao final das 100 voltas.

Helinho se tornou o maior vencedor nas ruas da cidade da Florida, com três (2006, 2007 e 2012).

Castroneves comemorou a vitória com a tradicional subida na grade. A diferença desta vez foi o local onde a grade está localizada: na Dan Wheldon Way, rua renomeada em homenagem ao britânico, falecido em um acidente na última prova de 2011, em Las Vegas. Helio e Wheldon eram grandes amigos, e o brasileiro foi as lágrimas.

“Estou muito feliz porque o ano começou muito bom para o nosso Shell V-Power Pennzoil #3. Quando eu disse, durante a semana, que se largasse entre os seis primeiros eu poderia vencer, estava falando sério. Fomos capazes de mudar a estratégia durante a prova e os meu pessoal da Penske foi demais”, declarou Castroneves.

Ryan Hunter-Reay completou o pódio. O canadense James Hinchcliffe (Andretti Autosport) terminou em 4º, seguido pelo australiano Ryan Briscoe (Penske). O francês Simon Pagenaud (Sam Schmidt-Hamilton) fez uma grande prova, após ser punido e alinhar em 16º. Terminou em 6º.

Pole-position, Will Power (Penske) liderou as onze primeiras voltas, até ter problemas no primeiro pit stop, e perder muitas posições, terminando em 7º. O venezuelano Ernesto Viso (KV Racing), o norte-americano Charlie Kimball (Ganassi) e o britânico Justin Wilson (Dale Coyne) fecharam os dez primeiros.

O norte-americano Josef Newgarden (Sarah Fisher Hartman Racing) foi o melhor estreante, em 11º.

Atual tri-campeão, o escocês Dario Franchitti (Ganassi) foi apenas o 13º.
    
Estreando na categoria, o brasileiro Rubens Barrichello (KV Racing) terminou na 17ª posição.

“Eu me diverti nessa prova. Infelizmente, tivemos um problema de leitura do medidor de combustível, e isso ocasionou de ficarmos sem no final. No entanto, gostei muito da corrida e por brigar com outros carros, mas teria gostado mais se pudesse disputar mais. Foi um bom aprendizado neste fim de semana, e estou ansioso para estar de volta no carro em poucos dias para a próxima corrida”,  declarou Barrichello.

O brasileiro Tony Kanaan (KV Racing) abandonou com problemas elétricos na 20ª volta. 

“Estávamos com um bom ritmo e com uma ótima estratégia, mas durante a bandeira amarela notei que o alerta da bateria estava acendendo e de repente o motor apagou. Parece que o problema foi causado pela alternador, que parou de carregar a bateria do carro. Realmente uma pena, pois estava me divertindo muito na pista. Agora, é hora de pensar em Barber na semana que vem”, comentou Kanaan.

Foi a estreia do novo chassi da categoria, o DW12. E pela primeira vez desde 2005 três motores diferentes equiparam os carros: Honda, Chevrolet e Lotus.

Dixon liderou o maior número de voltas, 37, e ganhou três pontos de bônus. Castroneves 28, o japonês Takuma Sato (Rahal-Letterman-Lanigan) 11, Power 11, Briscoe 9, JR Hildebrand 3 e Franchitti uma.

Power liderou da 1º até a 11º, Briscoe da 12ª a 20ª, Dixon da 21ª a 36ª e depois da 48ª a 68ª, Sato da 37ª a 46ª e depois a 71ª, Castroneves da 69ª a70ª e depois da 75ª a 100ª e Hildebrand a 74ª.

Foram três bandeiras amarelas, por 15 voltas. A primeira da 13ª a16ª volta, devido ao carro da britânica Katherine Legge (Dragon) parado na pista. Depois da 20ª a 27ª, após a batida da barreira de proteção de outro britânico, James Jakes (Dale Coyne). A terceira e última entre a 46ª e 48ª volta, depois do toque entre Castroneves e o norte-americano Ed Carpenter (Ed Carpenter Racing) na curva 14.

Power marcou a melhor volta, 62s7575 (103,2555 mp/h), na 5ª volta.

No próximo final de semana acontece a segunda etapa do campeonato, no circuito do Barber Motorsports Park, no estado do Alabama.

Final:

1º. Hélio Castroneves (BRA/Penske-Chevrolet), 100 voltas

2º. Scott Dixon (AUS/Chip Ganassi-Honda), a 5s529
3º. Ryan Hunter-Reay (EUA/Andretti-Chevrolet), a 7s582
4º. James Hinchcliffe (CAN/Andretti-Chevrolet), a 10s652
5º. Ryan Briscoe (AUS/Penske-Chevrolet), a 11s785
6º. Simon Pagenaud (FRA/Schmidt/Hamilton-Honda), a 31s262
7º. Will Power (AUS/Penske-Chevrolet), a 34s658
8º. Ernesto Viso (VEN/KV-Chevrolet), a 35s594
9º. Charlie Kimball (EUA/Chip Ganassi-Honda), a 43s142
10º. Justin Wilson (ING/Dale Coyne-Honda), a 44s314
11º. Josef Newgarden (EUA/Fisher Hartman Honda), a 44s827
12º. Graham Rahal (EUA/Chip Ganassi-Honda), a 45s108
13º. Dario Franchitti (ESC/Chip Ganassi-Honda), a 45s846
14º. Marco Andretti (EUA/Andretti-Chevrolet), a 1 volta
15º. Alex Tagliani (CAN/BHA-Lotus), a 1 volta
16º. Oriol Servià (ESP/Lotus Dreyer & Reinbold), a 1 volta
17º. Rubens Barrichello (BRA/KV-Chevrolet), a 2 voltas
18º. Ed Carpenter (EUA/Carpenter-Chevrolet), a 2 voltas
19º. JR Hildebrand (EUA/Panther-Chevrolet), a 4 voltas
20º. Mike Conway (ING/AJ Foyt-Honda), abandonou
21º. Sébastien Bourdais (FRA/Dragon-Lotus), abandonou
22º. Takuma Sato (JAP/Rahal Letterman-Honda), abandonou
23º. Katherine Legge (ING/Dragon-Lotus), abandonou
24º. Simona de Silvestro (SUI/HVM-Lotus), abandonou
25º. Tony Kanaan (BRA/KV-Chevrolet), abandonou
26º. James Jakes (ING/Dale Coyne-Honda), abandonou

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *