IndyCar: Will Power vence em São Paulo

O australiano Will Power (Penske) venceu na manhã desta segunda-feira, a São Paulo Indy 300, 4ª etapa da temporada. Foi a segunda vitória consecutiva de Power na prova e 12ª na categoria. O norte-americano Graham Rahal (Chip Ganassi) foi o 2º, seguido pelo australiano Ryan Briscoe (Penske).


Primeira parte, domingo 1º de maio

Meia hora antes da largada começou a chover na região do circuito montado no Anhembi. Com todos os pilotos calçados com pneus de chuva a largada foi dada com Power, o pole-position, mantendo a ponta. Logo na primeira curva começou a confusão, com o norte-americano Ryan Hunter-Reay (Andretti Autosport) passando reto no “S” do final da reta, acertando a barreira de pneus.  O brasileiro Helio Castroneves (Penske) foi espremido pelo escocês Dario Franchitti (Chip Ganassi), batendo na saída da segunda perna do “S”, e sendo acertado pela suíça Simona de Silvestro (HVM).  Na seqüência a norte-americana Danica Patrick (Andretti Autosport) acertou de Silvestro e rodou, atingindo o brasileiro Tony Kanaan (KV Racing). A bandeira amarela foi acionada.

Kanaan acabou tendo a mão esquerda atingida pelo aerofólio de Patrick, sofrendo uma luxação.

Na 5ª volta aconteceu a relargada, e com a pista encharcada de vez, três pilotos rodaram na primeira curva: o neozelandês Scott Dixon (Chip Ganassi), o canadense James Hinchcliffe (Newman-Haas) e o britânico Justin Wilson (Dreyer&Reinbold). Hunter-Reay, que havia retornado a prova, rodou batendo de traseira no muro. O brasileiro Vitor Meira (A.J.Foyt) também rodou, e bateu, danificando a traseira de seu carro. Com a rodada do francês Sébastien Bourdais (Dale-Coyne) na curva um, a bandeira vermelha foi acionada.

Os carros foram levados para as garagens, com as equipes sendo autorizadas a consertarem os carros danificados. Prontamente as equipes de Castroneves, Kanaan e Meira começaram os trabalhos de recuperação dos Dallara-Honda.

Duas horas depois os carros voltaram para o pit lane. Às 16 horas a prova recomeçou; em bandeira amarela. Contudo a chuva voltou com força, deixando a pista completamente sem visibilidade. Depois de quatro voltas com os carros atrás do Pace-Car, a bandeira vermelha foi acionada.

Sem possibilidade da prova ser reiniciada, a direção da categoria anunciou a suspensão da corrida, com o recomeço sendo marcado para as 9 horas da manhã de segunda-feira.

Power era o líder seguido por Briscoe e o japonês Takuma Sato (KV Racing). O britânico Mike Conway (Andretti Autosport), que vinha em 3º, ficou parado na pista, perdendo uma volta.

Segunda parte, segunda 2 de maio

O dia amanheceu sem chuva, com os todos os pilotos alinhando com pneus para pista seca, para mais 1h19 minutos de prova. Contudo assim que os pilotos partiram para o reinicio da prova, atrás do Pace Car, a chuva voltou a cair.  Antes do final da volta inicial todos os carros, que passaram ilesos pelo “S” do Samba, entraram nos boxes, para colocarem pneus de chuva.

Power, Briscoe e Sato mantiveram as posições. Nas voltas seguintes Rahal acabou sendo superado por Franchitti e o norte-americano Marco Andretti (Andretti Autoport) caindo para 6º. Na 18ª volta Sato passou Briscoe, assumindo a segunda posição.

Tentando abrir vantagem, Power derrapou na saída da curva Tietê, acertando de leve o muro. O toque entortou a suspensão traseira do carro, desalinhando também o volante.

Na 20ª volta a bandeira amarela foi acionada, devido as batidas quase simultâneas de Bourdais e Reay. O francês abandonou, com Reay conseguindo levar o carro para os boxes. Com dois aerofólios traseiros danificados em batidas no domingo, a equipe colocou uma peça reserva do parceiro Conway.

Na relargada, na 25ª volta, Sato foi para cima de Power, e na freada para a curva um assumiu a liderança. O brasileiro Raphael Matos (AFS Racing) levou um toque, tendo que ir aos boxes trocar a peça. Rahal rodou, conseguindo retornar a prova. Com detritos em uma curva a bandeira amarela foi acionada novamente.

Quatro voltas depois a prova recomeçou. Andretti passou Franchitti pelo terceiro lugar. Na freada do fim da reta, para o “S” do samba, uma confusão envolveu três brasileiros. Matos e Kanaan se tocaram, com Bia Figueiredo (Dreyer&Reinbold) perdendo a freada e passando por cima de pedaços de carros. Matos e Figueiredo abandonaram, e a prova continuou em bandeira verde.

Franchitti passou reto, batendo na proteção de pneus. O atual campeão retornou a prova depois de trocar a asa dianteira. Wilson rodou, e também voltou a disputa. Na 33ª volta Patrick rodou na reta, provocando outra amarela. Duas voltas depois a maioria dos pilotos foram para os pits, inclusive Power, que saiu do grupo dos seis primeiros.

Sato, Andretti e o venezuelano Ernesto Viso, parceiro de Sato e que antes da amarela superou o espanhol Oriol Servia (Newman-Haas) e Briscoe, permaneceram na pista, ocupando as três primeiras posições.

Após a relargada, na 37ª volta, Viso foi para cima de Andretti na primeira curva. O norte-americano cortou por dentro da zebra, tendo que abrir passagem para Viso.

Faltando 26 minutos para o final do tempo limite de duas horas de prova, Sato era o líder com 2s2 de vantagem sobre Viso, que se defendia de todas as formas de Andretti, bloqueando a pista. O venezuelano acabou levando uma bandeira preta, tendo que cumprir um drive-through na 43ª volta.

Sem bandeiras amarelas Sato abriu quatro segundos de vantagem sobre Andretti, que foi para os boxes, reabastecer e trocar os pneus. A Andretti Autosport numa estratégia ousada, mas ineficaz, colocou pneus vermelhos, para pista seca.

Sem mais bandeiras amarelas, a estratégia de KV caiu por terra, com Sato tendo que entrar nos boxes na 48ª volta, apenas para reabastecer, voltando em 7º.

Com menos de dez minutos para o final, Power retornou a liderança, vencendo, após 55 das 75 voltas programadas, com 4s6 de vantagem sobre Rahal, que se recuperou da rodada para conquistar um excelente resultado. Briscoe fechou o pódio.

Franchitti também se recuperou do erro na curva um, terminando em 4º, seguido por Servia. Conway (que teve a volta perdida no domingo devolvida) foi o 6º, com Wilson em 7º e Sato na 8ª posição. Hinchcliffe e o norte-americano J.R.Hildebrand (Panther) fecharam os dez primeiros.

Meira foi o melhor brasileiro em 17º. Castroneves foi o 21º, com Kanaan na 22ª posição.

De Silvestro fez uma grande prova, andando no mesmo ritmo dos lideres, mesmo tendo nove voltas de atraso. Ela fez a melhor volta da prova, 1min39s823, recebendo um troféu oferecido por um dos patrocinadores da prova.

Apesar de tanta confusão 23, dos 26 carros, completaram a prova.

Power assumiu a liderança do campeonato com 168 pontos, 14 a mais do que Franchitti. Servia, com 110, é o 3º.

A próxima etapa acontece no dia 29 de maio, as 500 Milhas de Indianápolis.

Confira o resultado da corrida:
1. Will Power (Team Penske) – 2h04min05s296
2. Graham Rahal (Chip Ganassi Racing) – a 4s672
3. Ryan Briscoe (Team Penske) – a 7s903
4. Dario Franchitti (Chip Ganassi) – a 10s147
5. Oriol Servia (Newmann/Haas Racing) – a 15s818
6. Mike Conway (Andretti Autosport) – a 16s677
7. Justin Wilson (Dreyer & Reinbold Racing) – a 20s013
8. Takuma Sato (KV Racing Technology-Lotus) – a 23s068
9. James Hinchcliffe (Newman/Haas Racing) – a 25s292
10. JR Hildebrand (Panther Racing) – a 31s317
11. Sebastian Saavedra (Conquest Racing) – a 36s426
12. Scott Dixon (Chip Ganassi Racing) – a 42s197
13. EJ Viso (KV Racing Technology-Lotus) – a 45s826
14. Marco Andretti (Andretti Autosport) – a 1min14s563
15. James Jakes (Dale Coyne Racing) – a 1min16s563
16. Charlie Kimball (Chip Ganassi Racing) – a 1 volta
17. Vitor Meira (A.J. Foyt Enterprises) – a 2 voltas
18. Ryan Hunter-Reay (Andretti Autosport) – a 5 voltas
19. Alex Tagliani (Sam Schmidt Motorsport) – a 7 voltas
20. Simona de Silvestro (HVM Racing) – a 9 voltas
21. Helio Castroneves (Team Penske) – a 9 voltas
22. Tony Kanaan (KV Racing Technology-Lotus) – a 9 voltas

23. Danica Patrick (Andretti Autosport) – a 9 voltas
24. Bia Figueiredo (Ipiranga Dreyer & Reinbold Racing) – a 24 voltas
25. Raphael Matos (AFS Racing) – a 27 voltas

26. Sebastien Bourdais (Dale Coyne Racing) – a 35 voltas

A classificação do campeonato após quatro corridas disputadas:

1. Will Power – 168 pontos
2. Dario Franchitti – 154 pontos
3. Oriol Servià – 110 pontos
4. Mike Conway – 102 pontos
5. Ryan Briscoe – 101 pontos
6. Tony Kanaan – 99 pontos
7. Alex Tagliani – 85 pontos
8. Scott Dixon – 84 pontos
9. Graham Rahal – 82 pontos
10. Takuma Sato – 80 pontos
11. Simona de Silvestro – 78 pontos
12. Vitor Meira – 77 pontos
13. Marco Andretti – 70 pontos
14. Justin Wilson – 70 pontos
15. Danica Patrick – 69 pontos
16. JR Hildebrand – 69 pontos
17. Helio Castroneves – 68 pontos
18. Raphael Matos – 67 pontos
19. James Hinchcliffe – 66 pontos
20. Sebastian Saavedra – 62 pontos
21. Charlie Kimball – 58 pontos
22. James Jakes – 55 pontos
23. Ryan Hunter-Reay – 52 pontos
24. E.J. Viso – 51 pontos
25. Sébastien Bourdais – 44 pontos
26. Bia Figueiredo – 40 pontos
27. Simon Pagenaud – 24 pontos
28. Paul Tracy – 14 pontos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *