IndyLights: A briga pelo título da Indy Lights continua

A corrida da Firestone Indy Lights em Kentucky, na noite do último sábado, não foi o que esperava Ana Beatriz – Bia (Healthy Choice, WebMotors, Svelte, Bardahl). Depois de largar da segunda posição, no começo da segunda metade da prova ela foi fechada e jogada para fora da pista por J. R. Hildebrand. Acabou em 16o lugar na 13a das 16 etapas do campeonato.

“Mas a briga pelo título não terminou”, afirma a piloto brasileira da Sam Schmidt Motorsports, que chegou a Kentucky em terceiro lugar, a 44 pontos da liderança, e saiu em quinto, com 346 pontos, a 62 pontos do líder Richard Antinucci, que terminou a prova em quarto lugar e agora soma 408 pontos.


 


“Faltam três corridas e tem 159 pontos em jogo, 50 para cada vitória, um por cada pole position e dois pelo maior número de voltas na liderança de cada prova. Realmente, ficou mais difícil, mas não impossível. Tudo pode acontecer. É por isso que a IndyCar e a Indy Lights são categorias altamente competitivas”, diz Bia, como a tratam os americanos, pelo apelido.


 


Raphael Matos, que acabou em sexto lugar na prova de Kentucky, continua na vice-liderança, com 404 pontos, e em terceiro, empatados com 351 pontos, estão Dillon Battistini, que venceu a corrida de Kentucky, e Arie Luyendyk Jr., que acabou em terceiro lugar. James Davison em segundo completou o pódio da 13a etapa da Indy Lights.


 


A corrida
 


A piloto da Sam Schmidt Motorsports largou em segundo lugar, assumiu a ponta e liderou a primeira volta da prova acidentada, que acabou com cinco dos 24 carros do grid batidos. Depois, foi ultrapassada e perdeu algumas posições. “Testamos de noite em Kentucky, com a temperatura mais baixa, e o carro tendia a sair de frente. Nós trabalhamos isso e partimos para um acerto diferente na corrida”, conta Ana Beatriz.


 


Perto da quadragésima das 67 voltas pelo circuito de 1,5 milha, ela estava no pelotão dianteiro quando foi literalmente abalroada pelo carro de J. R. Hildebrand. Ele vinha por fora e fechou o carro da brasileira. Ambos escorregaram para a grama, mas Bia conseguiu controlar seu carro e retornar à pista. Foi aos pits para trocar pneus e voltou à corrida na 22a posição, naquele momento a última.


 


“O Hildebrand tentou me ultrapassar por fora, não conseguiu, e no meio da reta, eu por dentro, de repente veio em cima de mim, batemos rodas, e saímos juntos da pista”, descreve a brasileira, que então partiu a recuperação no restante da corrida pontuada ainda por mais duas bandeiras amarelas em razão de batidas.


 


“O comportamento do carro mudou um pouco depois do acidente, até fiz algumas ultrapassagens nas poucas voltas em bandeira verde, e me concentrei em terminar a corrida e marcar o maior número possível de pontos”, diz a piloto.


 


Depois da prova, ela ouviu pedido de desculpa de Hildebrand, que acabou em 19o e caiu para sexto na tabela do certame. “Não entendo a razão de alguém que estava em quarto lugar no campeonato fazer o que ele fez. Não foi bom para nenhum de nós”, lamenta a Ana Beatriz – Bia. “Vamos para a próxima.”


 


As 14a e a 15a etapas da Firestone Indy Lights serão disputadas em rodada dupla no circuito misto Infineon Raceway, em Sonoma, na Califórnia, em 23 e 24 de agosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *