Informações: Prefeitura de Cascavel assume o autódromo

O Autódromo de Cascavel foi um dos primeiros a ser construído no Brasil, mas por falta de investimento deixou de sediar competições nacionais

Depois de 38 anos de existência, o Autódromo de Cascavel passa a pertencer à Prefeitura. Ontem (quinta-feira) à tarde, a Câmara de Vereadores aprovou o Projeto de Lei 029/11, encaminhado pelo prefeito Edgar Bueno (PDT), autorizando o executivo a receber o autódromo em doação. O projeto recebeu voto favorável dos 13 vereadores presentes a sessão.

De acordo com o estabelecido no Projeto, a S/A Empreendimento, dona do Autódromo Zilmar Beux desde a sua fundação em 1973, doará a prefeitura o autódromo, com uma área de 35 alqueires de terra, sem qualquer custo ao município. A única exigência é que o nome Zilmar Beux seja mantido e a finalidade da área seja permanece a mesma, o automobilismo. Os outros quatro alqueires ficarão com os atuais donos, que serão transformados em um loteamento comercial a ser vendido preferencialmente aos acionista da S/A Empreendimentos.

A estatização do autódromo cascavelense era considerada fundamental pelos desportistas paranaenses como forma de alavancar investimentos para a sua revitalização para que o mesmo volte a receber competições de grande vulto como Stock Car, Fórmula Truck, Fórmula 3 Sul-americana e outras.

Doação agrada FPrA

Rubens Gatti, presidente da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), diz que recebe a notícia da aprovação do projeto de doação do Autódromo à Prefeitura com alegria porque isto significa um avanço para o esporte motor do Paraná.

Segundo Rubens, a Federação estará à disposição da Prefeitura para auxiliar no que for necessário daqui para frente. “Estamos prontos a colaborar na elaboração de projetos e trabalhar no sentido de que logo logo Cascavel volte a ter grandes eventos. Nossos técnicos podem colaborar na orientação da parte técnica e vamos colocar o peso político da entidade e nosso bom relacionamento com a Confederação Brasileira de Automobilismo e Confederação Sul-americana para ajudar Cascavel a voltar a ter a importância que teve no passado para o automobilismo brasileiro e internacional”, diz Rubens Gatti.

Gatti também ressalta que o Autódromo é muito importante para alavancar o turismo. “Hoje o turismo de eventos está em moda. O autódromo pode ser uma indústria sem chaminé atraindo milhares de pessoas à cidade. Eles deixarão muito dinheiro, principalmente em hotéis, restaurantes, lojas, postos de combustíveis e no comércio em geral. Há também o trabalho de parceria com a cultura. Muitas cidades hoje já programam shows musicais e peças de teatro nos mesmos finais de semana de corridas como uma opção a mais para o visitante”, finaliza Gatti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *