IRL: Meira vê necessidade de mais competitividade em treinos classificatórios

Atestando acerto para corridas, brasileiro da Panther aponta necessidade de testes preparatórios em busca de acerto competitivo para os treinos.

Os testes coletivos que reuniram os pilotos da Fórmula Indy durante dois dias no circuito oval de Homestead, na última semana, levaram Vitor Meira a uma conclusão: a de que a Panther precisa ter um carro mais competitivo para treinos classificatórios. O piloto brasileiro cumprirá em 2007 sua segunda temporada pela equipe de Indianápolis, pela qual conquistou o quinto lugar na classificação final do campeonato do ano passado.

“Foram testes produtivos para nós. Como nosso orçamento é menor que o das grandes equipes, nós sempre vamos para a pista em situações como essa já preparados para tirar o máximo proveito dos treinos”, explica o piloto brasileiro, que terminou o primeiro dia de treinos em oitavo na somatória de todos os tempos e ficou em nono no segundo dia. O inglês Dan Wheldon, da Ganassi, estabeleceu as voltas mais rápidas nos dois dias.

Os testes da última semana tiveram sessões diurnas e noturnas, algo que beneficiou as equipes na preparação para a primeira etapa do campeonato, que pela primeira vez acontecerá à noite – a corrida está marcada para 24 de março, um sábado, na própria pista de Homestead, localizada em Miami. Neste ano, o calendário da categoria volta a ser composto por 17 etapas, que serão cumpridas num intervalo de cinco meses e meio.

“Os acertos do carro para a noite mudam muito, principalmente na parte de aerodinâmica. O ar frio é mais pesado, o que muda os coeficientes de pressão. Isso exige mais trabalho no acerto do chassi”, explica o brasileiro, que mostrou-se satisfeito com a performance de seu Dallara-Honda para condição de corrida. “Em corridas, o carro continua competitivo, mas precisamos testar mais para melhorar nos treinos de classificação”, comentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *