IRL: Tony vê no Japão a chance de ser líder do campeonato

Baiano esteve entre os três primeiros por duas vezes em Motegi.

Embora a Fórmula Indy já deu uma idéia de sua competitividade neste ano, o brasileiro Tony Kanaan, campeão em 2004, acredita que o GP do Japão possa ser uma chance de assumir a ponta da tabela. “Com certeza será uma prova muito disputada, pois apesar de ser um oval de 1.5 milhas, o seu formato de tri-oval é diferente e acho que estaremos mais competitivos. Nós sempre andamos bem aqui, ainda mais por ser a casa da Honda, e espero manter essa escrita, mas, desta vez, vou lutar pela minha primeira vitória em Motegi”, destacou Kanaan, que ocupa a 3ª colação na classificação, a 15 pontos do líder Scott Dixon.

O baiano chegou no domingo nas terras japonesas, pois tem uma semana cheia de compromissos e treinos. “Tenho muitos eventos por aqui, além das sessões de treinamento, mas chegar antes é bom para me acostumar com o fuso horário. Os primeiros dias são complicados, pois quando tenho sono, não posso dormir e, durante a noite, estou acordadaço (risos)”, relatou o baiano. Um dos eventos principais de Kanaan será a visita ao “Honda Collection Hall”, o museu onde a montadora expõe os carros vencedores de sua história no automobilismo. Entre eles, o chassi Dallara, número 11, campeão com o brasileiro em 2004 e detentor de diversos recordes. “São alguns minutos onde me recordo daquele ótimo ano”, completou.

Por ser a única prova fora dos Estados Unidos, a Fórmula Indy tem uma estrutura de logística com números impressionantes. 192.00 kg de equipamento enviado para o Japão transportado por 2 aviões 747 cargo. 450 pessoas, entre pilotos, mecânicos entre outros, que viajaram dos Estados Unidos rumo ao Oriente. Entre os principais materiais estão os 36 carros das equipes. “É uma operação gigante. Além disso, nós pilotos e os donos das equipes ficamos no mesmo hotel, dentro da pista de Motegi. À noite, acontece até um karaokê com músicas japonesas”, brincou Kanaan.

A cidade de Motegi fica a 60 milhas da capital Tóquio e o autódromo também recebe o mundial de MotoGP durante o ano. Ao longo das suas 1.5 milhas de extensão, as curvas 1 e 2 são muito diferentes das 3 e 4, consideradas o grande desafio dos engenheiros. “É uma pista que temos que balancear o acerto. Por isso, é sempre uma surpresa”, comentou o brasileiro, 3º colocado na prova do ano passado.

Os treinos livres iniciam na noite desta quarta-feira (18), às 22h30 – 10h30 de quinta-feira no Japão. A classificação acontece na madrugada de quinta para sexta-feira. A largada para o GP do Japão, 3ª etapa da Fórmula Indy 2007, está marcado a 1h da manhã da madrugada de sexta-feira para sábado (21), com transmissão ao vivo pela Band.

Curiosidades de Tony no Japão

– Participa de um Campeonato de Boliche entre pilotos num dos maiores prédios especializados na modalidade no Japão. Ele foi campeão em 2005.
– Visita uma escola em Tóquio onde é recepcionado por mais de mil crianças.
– Como não tem motorhome, os pilotos, mecânicos e demais integrantes das equipes, almoçam todos juntos numa espécie de refeitório exclusivo. Até vale-refeição é distribuído.
– Recebe muito carinho dos fãs japoneses. Existe muitos deles que levam camisetas, bonés, fotos, etc…que ele autografou desde 2003.
– 4 corridas no Japão. Os melhores resultados foram obtidos em: 2004, 2º lugar;  2006, na 3ª colocação. Liderou em três provas e completou as três até o final (2004, 2005 e 2006).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *