Kart: Cabo de acelerador atrapalha corrida de Thiago Vivacqua

O piloto Thiago Vivacqua (Birel Sudam/NHJ/Facility/Panurania/ONS Motorsport) viveu no último sábado (07), no Kartódromo Aldeia da Serra, em Barueri – SP, um daqueles dias em que o atleta preferia não ter saído de casa.

O representante da equipe ONS chegou à pista da região metropolitana paulista ainda na quinta-feira, dia cinco, quando deu início aos treinos e ajustes do equipamento para esta que foi a abertura da Copa São Paulo Light de Kart 2009.

Após várias voltas e muito atento aos ensinamentos do preparador Onassis e de seu companheiro de equipe, Victor Franzoni, maior vencedor da categoria Júnior Menor em 2008, Thiago conseguiu deixar o equipamento bem ajustado e com um rendimento que parecia muito próximo do ideal.

No sábado então, dia da corrida, Vivacqua sorteou seu motor junto à organização da prova e entregou para que a equipe o montasse em seu kart para o treino de aquecimento. Nesta última ida à pista antes da tomada de tempos Thiago se mostrou satisfeito com o equipamento e conseguiu registrar tempos próximos aos de seus concorrentes, condição que o deixou animado para a briga pela pole-position.

Na classificação, por sua vez, Thiago conseguiu boas voltas, porém, como os motores têm um rendimento muito próximo, Vivacqua ficou com a nona posição do grid a pouco mais de dois décimos de diferença do pole, o goiano Yago Cesário.

Sem desanimar o piloto partiu confiante para largada e seguiu para junto de seu equipamento no parque fechado. Porém, a maior surpresa do final de semana estava por vir. Na hora de bater seu kart no chão para funcionar o cabo do acelerador se rompeu e, desta forma, o equipamento nem ligou. Rapidamente a equipe se mobilizou para tentar solucionar o problema, mas, esta substituição demandou muito tempo, o que tirou todas as chances de um bom resultado para Thiago. Mesmo assim, demonstrando extremo compromisso, com 10 voltas de prova a equipe ONS conseguiu colocar o kart de Vivacqua na pista e o piloto completou as 11 voltas restantes para o final da prova.

“Não tenho nem o que falar. Foi minha segunda corrida do ano e estava disposto a brigar por um lugar no pódio. Fiquei decepcionado principalmente porque o cabo era novinho, tínhamos trocado após a tomada exatamente para evitar qualquer surpresa. Mas, quebras mecânicas fazem parte da vida de um piloto e, ainda bem que foi no começo do Campeonato. Assim, terei o ano inteiro para buscar a recuperação dos pontos que deixei de conquistar nesta prova”, finalizou o piloto de 12 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *