Kart: Daré descarta segunda edição do “Desafio das Estrelas”

O bauruense Aírton Daré descartou definitivamente a possibilidade de realizar a segunda edição do “Desafio das Estrelas” no Kartódromo Toca da Coruja. Desapontado, Daré aponta como motivo da desistência o comportamento de Felipe Massa, piloto da Ferrari na Fórmula 1, e do promotor Carlinhos Romagnolli, seus parceiros na primeira edição do evento, uma corrida de karts que reuniu os principais pilotos brasileiros na pista de Bauru.

“Há duas semanas, entrei no site do Desafio das Estrelas e me deparei com o anúncio de que a segunda edição seria realizada em Salvador; minha surpresa foi ainda maior na semana passada, quando vi, em sites especializados, fotos do Massa e do Romagnolli no kartódromo de Florianópolis, negociando com a prefeitura de lá à minha revelia, em total desrespeito aos compromissos assumidos comigo no ano passado”, condena Daré, que fez investimentos significativos em instalações para a imprensa e na adequação do kartódromo às necessidades do televisionamento.

“O que me deixa mais aborrecido é eu ter ignorado os muitos avisos de não abrir mão de um contrato por escrito, vindos de quem já conhecia o Carlinhos Romagnolli. Mas ele afirmou que o Massa estava envolvido e que a palavra dele, Massa, valia mais do que qualquer contrato. Acabei abrindo mão, e tive certeza de que não haveria problemas ao ver o próprio Massa declarar repetidas vezes para a imprensa de que faríamos pelo menos mais duas edições do Desafio na Toca da Coruja. Mas não foi isso que aconteceu. Até agora, não recebi sequer um telefonema ou um e-mail do Romagnolli nem do Massa”, afirma Daré. “Banquei muitas das despesas e tive de cancelar toda a programação do kartódromo no segundo semestre para deixar tudo pronto dentro do prazo”.

“O retorno se daria nas outras edições, que incluiriam provas seletivas entre os pilotos que quisessem enfrentar os grandes nomes da Stock Car e da Fórmula 1. É uma decepção enorme para o público da região, que compreende diversas cidades, inclusive Botucatu, a cidade do Felipe Massa. Nem sei qual vai ser a reação do pessoal, que sonhava com esta corrida por ser a única oportunidade de ver de perto seus ídolos. Também é uma decepção para as empresas daqui de Bauru que investiram em um evento que deveria ser de três anos e vão ter de se contentar com apenas um. É uma pena que isto tenha acontecido, não é o que foi combinado”, finalizou Daré.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *