Kart: Massa vence primeira corrida do Desafio das Estrelas

Piloto da Ferrari larga na pole, lidera de ponta a ponta e faz melhor volta.

 


Contando apenas com a resistência de Nelsinho Piquet, que o escoltou ao longo de toda a prova, Felipe Massa venceu na manhã deste domingo a bateria de abertura do Desafio Internacional das Estrelas, no Kartódromo Internacional dos Ingleses, em Florianópolis (SC). O piloto da Ferrari, que voltou a usar o macacão com as mesmas cores verde-amarela do GP do Brasil, recebeu a bandeirada de Gustavo Kuerten, depois de sair na pole, liderar de ponta a ponta e estabelecer a volta mais rápida. Pelo sistema de grid invertido adotado pela competição em relação aos oito primeiros colocados, Massa partirá em 8º na segunda corrida, enquanto Tony Kanaan partirá da pole. A largada está marcada para as 15 horas.


“O Nelsinho deu muito trabalho. Estava difícil segurá-lo, pois nosso ritmo era igual. Esperava mais pilotos na briga pela vitória, mas foi legal do mesmo jeito. Largando em oitavo será mais complicado. Em uma corrida que certamente será difícil, correrei usando a cabeça, pois os acidentes acontecerão”, previu Massa.


Nelsinho Piquet, um dos mais rápidos em todos os treinos, chegou a pressionar Massa nas voltas iniciais, mas depois se acomodou na segunda posição que ocupava no grid. Os dois ponteiros foram beneficiados pela luta pela terceira posição, que nas voltas iniciais envolveu Luciano Burti, Antonio Pizzonia, Enrique Bernoldi e Lucas di Grassi. A partir do meio da corrida, no entanto, Burti perdeu rendimento e posições, enquanto Di Grassi, Bernoldi, Vítor Meira e Pizzonia completavam os seis primeiros.


“A corrida estava ficando muito difícil no final, pois o kart ficava mais lento à medida que os pneus acabavam. Fiquei forçando o máximo possível, mas não consegui ultrapassar o Felipe. Porém, sempre acreditei que poderia ter vencido”, explicou Nelsinho.


Apesar do alto nível dos pilotos, todos representantes das principais categorias mundiais e nacionais, a prova foi marcada pelo elevado número de choques. Rubinho Barrichello, que largara em 22º, envolveu-se em acidente, parou para reparar a carenagem e se atrasou seis voltas, terminando fora da zona de pontos. “O Zonta bateu com alguém e não tive como desviar. Aí minhas chances na corrida foram para o espaço”, lamentou Barrichello.


Dos estrangeiros convidados, mesmo saindo em último e com uma participação discretíssima, o veterano Jean Alesi foi o melhor com a 14ª colocação.


1ª bateria


1º) Felipe Massa (SP), 30 voltas em 20:52.035 (média de 89,53 km/h)
2º) Nelsinho Piquet (DF), a 0.739
3º) Lucas Di Grassi (SP), a 10.873
4º) Enrique Bernoldi (PR), a 11.860
5º) Vitor Meira (DF), a 11.975
6º) Antonio Pizzonia (AM), a 14.521
7º) Luciano Burti (SP), a 15.220
8º) Tony Kanaan (BA), a 17.616
9º) Hoover Orsi (MS), a 27.235
10º) Cacá Bueno (RJ), a 34.176
11º) Tiago Monteiro (PT), a 36.327
12º) João Paulo de Oliveira (SP), a 39.679
13º) Xandynho Negrão (SP), a 1 volta
14º) Jean Alesi (FR), a 1 volta
15º) Vitantonio Liuzzi (I), a 1 volta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *