Kart Nacional: FPA processará responsáveis por morte em evento clandestino de kart

Entidade máxima do esporte a motor pernambucano aguarda final das investigações para entrar com ação contra a prefeitura de Carpina. Organizadores também serão processados

A Federação Pernambucana de Automobilismo (FPA) entrará com um processo contra a prefeitura de Carpina (PE), cidade localizada a 42 quilômetros de Recife, e os organizadores do Carpina Kart Show, prova de kart realizado no último domingo sem a autorização da entidade e da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA). Durante o evento realizado nas ruas da cidade, Fernando Lopes, de 32 anos, morreu após bater seu kart contra um poste.

De acordo com a entidade máxima do esporte a motor pernambucano, esta ação será baseada no Código Brasileiro de Trânsito, que exige através do artigo 67 que eventos em vias públicas tenham sanção da federação estadual ou da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) para a sua realização, o que não era o caso da prova em Carpina. A FPA investiga a participação de pilotos filiados nesta competição, e irá agir com extremo rigor assim que confirmar quem são estes pilotos.

Waldner Bernardo, presidente da FPA, disse que é necessário aguardar o término das investigações feitas pela Polícia Civil para entrar com processo contra a prefeitura de Carpina e os organizadores da prova:

“A Polícia Civil dá um prazo máximo de 60 dias para a conclusão das investigações. Assim que este processo terminar, tomaremos as medidas cabíveis contra a prefeitura de Carpina e as pessoas que organizaram este evento clandestino.”

Ainda segundo o Jornal do Commercio, a Polícia Civil identificou como organizadores do Carpina Kart Racing três pessoas: Edilson Pedro da Silva, Diego Mendonça e Adevangeno Bastos, que deverão ser indiciados por homicídio culposo.

O que diz o Código Desportivo do Automobilismo (CDA)

Provas e campeonatos de automobilismo realizadas no Brasil devem seguir o Código Desportivo do Automobilismo (disponível no site www.cba.org.br). O artigo 26.5 do CDA mostra que inscritos, pilotos, pessoas que exercerem função oficial ou tomarem parte de qualquer maneira em uma prova sem a supervisão da CBA ou da federação estadual serão suspensas e multadas. Em caso de reincidência, os participantes deste tipo de torneio podem ter até a Cédula Desportiva retirada.

No caso do evento em Carpina, o CDA não foi seguido. Ainda que existissem pessoas ligadas de algum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *