Kart: Quebra de palheta tira vitória de Guilherme Silva no WSK

No domingo, dia 28, foi encerrado no South Garda Karting, em Lonato – Itália, a segunda etapa do WSK – Winning Series Kart – 2010. Ontem foram disputadas as pré-finais e as finais de todas as categorias.

Guilherme Silva (Tony Kart / Vortex), piloto brasileiro da categoria KF2, já tinha feito suas quatro classificatórias no sábado e surgia como um dos favoritos à pole-position, com seis pontos conquistados. Porém, quando os outros competidores finalizaram seus confrontos desta fase da competição, o mineiro ficou com a terceira posição do grid da Pré-Final, atrás de Ignazio D’Agosto (Itália – Tony Kart / Vortex) e Madsen Muller (Dinamrca – Energy – TM).

Com nervos à flor da pele os 34 melhores pilotos se alinharam para a Pré-Final. D’Agosto, Silva, Madsen, a garota Michelle Gatting (Dinamarca) e Yu Kanamaru (Japão) foram os protagonistas da prova mais emocionante da KF2. A cada volta um deles liderava a corrida e, realmente, era muito difícil determinar quem seria o vencedor. Com o auxílio dos freios dianteiros, presentes nos karts desta classe, as ultrapassagens são muito favorecidas. Os pilotos, literalmente, se jogam por dentro das curvas freando “lá dentro” e, em seguida, contornam na frente dos adversários. Madsen venceu com Kanamaru em segundo e Guilherme, na terceira posição.

No meio da tarde foi chegada a hora decisiva da segunda rodada do WSK. Guilherme Silva fez uma excelente largada e pulou para a segunda posição, no vácuo de Madsen. Porém, o primeiro pelotão da corrida contava com 10 pilotos onde, todos, tinham possibilidade de vencer. Da volta cinco até a 10ª Silva e Madsen travaram um verdadeiro duelo. Ambos se ultrapassaram, defenderam e andaram muito rápido. Mas, com isso, o restante do pelotão que tinha ficado um pouco para trás chegou aos dois. Em uma das ultrapassagens Madsen acabou escorando um pouco o kart de Silva que, caiu para a terceira posição, atrás de Kanamaru. Porém, na volta seguinte, subitamente Guilherme levanta o braço e todo o pelotão passa por ele. O brasileiro encosta o kart e abandona a corrida. Sob muita pressão Madsen Muller venceu com Jacob Nortoft (Dinamarca – FA – Vortex), em segundo e, completando o trio dinamarquês, Silver Klinkby (Tony Kart – Vortex).

“Eu não tive o que fazer. Meu kart vinha muito bem e, na medida do possível, estava tentando economizar um pouco dos pneus para as cinco últimas voltas, onde eu tentaria buscar a ultrapassagem definitiva no Madsen e assegurar a vitória. Mas, meu kart perdeu muito rendimento na entrada da reta e não tive o que fazer senão enconstar. Constatamos que o problema foi a quebra da palheta que, assim como no Brasil, já nos deixou na mão algumas vezes. Infelizmente é um resultado frustrante para um final de semana em que eu tinha completas condições de vencer. Faz parte”, encerrou muito desapontado o piloto de 15 anos.

A terceira etapa do WSK será realizada daqui três semanas, entre os dias 15 e 18 de abril, em Zuera, na Espanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *