Kart: Segunda etapa do Light foi difícil para Gabriel Navarrete

O piloto goiano Gabriel Navarrete (Nil Racing) disputou no último sábado, 28, no Kartódromo Aldeia da Serra, em Barueri – SP, a segunda etapa da Copa São Paulo Light de Kart, pela categoria Sprinter “A”.

Gabriel, que venceu de forma espetacular a etapa inaugural, enfrentou vários compromissos escolares durante durante esta semana e, com isso, somente conseguiu chegar ao kartódromo na manhã de sábado, dia da corrida.

Contando com o primordial apoio da equipe Nil Racing e do “professor” André Nicastro, Navarrete sentou em seu kart para o treino de aquecimento com um equipamento completamente acertado. Assim, ficou para o piloto, a responsabilidade de adaptação ao traçado e ajuste do equipamento ao motor sorteado pela organização.

Neste treino de aquecimento, porém, Navarrete sentiu que o motor rendia aquém do esperado e, desta forma, o piloto não conseguiu registrar uma boa marca nesta sessão. Após voltar aos boxes Gabriel se reuniu com a equipe e resolveram então pela troca do motor.

Após a troca, o Campeão Brasileiro de Kart 2008 seguiu confiante para a tomada de tempos. Porém, parecia que este sábado realmente não era o seu dia de melhor sorte e, mais uma vez, seu kart não apresentou o rendimento esperado e Gabriel registrou apenas o tempo de 42s083, marca que lhe rendeu um distante 12º lugar no grid.

Sem ter o que fazer em relação ao acerto de chassis, calibragem ou outra coisa relacionada ao acerto de pista a equipe Nil Racing optou por novamente trocar de motor. Às escuras Gabriel alinhou seu kart para a corrida que foi realizada após uma forte chuva com a pista ainda úmida.

Gabriel, largando de trás, sabia que teria uma prova difícil e daria o seu máximo para terminar em uma boa posição. Na hora da bandeira verde, porém, o piloto trouxe seu kart para a linha de dentro afim de garantir uma boa tomada da curva um, mas, neste momento, havia uma pequena poça d’água no meio da reta e que fez com que o seu kart rodasse. Navarrete não desanimou e recolocou seu kart de volta na pista, mas, já sem qualquer chance de brigar por boas posições. Com muito profissionalismo ele levou o equipamento até a bandeirada final e cruzou a linha de chegada na 10ª posição.

“Deu tudo errado neste final de semana. Desde as provas na escola que não me deixaram vir treinar, passando pelos problemas de motor e finalizando com a “maldita” poça d’água. Infelizmente não consegui uma boa colocação, mas, pude desenvolver bastante o equipamento o que me ajudará para as próximas corridas”, finalizou resignado o piloto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *