Le Mans: Senna vê chance de se aproximar da liderança

Coronavírus muda data e leva novas variáveis à maratona de 24 horas

Uma corrida “estranha”, sem público, fora de sua época tradicional e com uma noite mais longa. Todas as particularidades da edição-2020 das 24 Horas de Le Mans estão postas para Bruno Senna, que tem na pontuação dobrada da prova em relação às etapas anteriores uma chance de subir na classificação e se manter na luta pelo título da classe LMP1 do Mundial de Endurance – Fia WEC. A prova, afetada pela pandemia do novo coronavírus e transferida de sua data original do meio de junho, será realizada neste sábado e valerá como penúltima do calendário.

 

Bruno ocupa a terceira posição na classificação de pilotos, com 109 pontos contra 137 dos líderes Jose Maria Lopez, Kamui Kobayashi e Mike Conway. O vencedor, no entanto, somará 50 pontos contra os 25 das provas de seis e oito horas, o que abre a possibilidade de o brasileiro adiar a definição para o Bahrein em dezembro. “Será uma experiência completamente diferente correr sem público em Le Mans. Não será a mesma coisa sem todo aquele pessoal torcendo”, admite. Mas uma dificuldade já é bem conhecida. “A Toyota estará muito forte e um será outra vez adversário muito complicado para nós da Rebellion”, observou.

 

Vencedor de duas etapas até agora, Bruno disse que o adiamento da corrida para o final do verão trouxe novas preocupações para as equipes. “Le Mans é sempre imprevisível, mas setembro traz sempre a chance de chuva e mudanças na temperatura, provavelmente mais fria. Além disso, a parte noturna aumentará bastante. Antes, era até bem curtinha, entre cinco e seis horas, mas agora esse número poderá subir para nove”, projetou o brasileiro, que tem o francês Norman Nato e o norte-americanoi Gustavo Menezes como companheiros de equipe.

 

A expectativa da Rebellion é que o carro da equipe consiga manter-se na pista em turnos de 11 voltas antes das paradas para reabastecimento.  “Assim, vai dar para nos aproximar e travar uma briga boa com a Toyota. O problema é se chover. Nosso carro está sofrendo muito na chuva, embora tenhamos aprendido muito em Spa, onde nossa perda de performance no molhado foi evidente. De qualquer forma, vamos ter de trabalhar muito mais se quisermos elevar nosso rendimento nessas condições”, avisou Bruno.

 

Depois dos habituais compromissos promocionais de um dos eventos mais conhecidos do automobilismo mundial, as atividades de pista serão abertas na quinta-feira com três treinos livres e uma tomada classificatória. A sexta-feira está reservada para novo ensaio e a definição do grid na hyperpole. A largada será autorizada às 9h30 (Brasília) de sábado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *