Marcas e Pilotos Gaúcha: Dia eletrizante

Com tempo completamente instável, a sorte sorriu para Luiz Carlos Ribeiro.

Instável foi realmente a melhor definição para o clima neste domingo em Tarumã. Depois de um sábado de muita chuva, a previsão para este domingo apontava tempo nublado, porém seco. O que acabou acontecendo foram pancadas de chuva que se estenderam desde as primeiras horas da manhã. Mesmo com pista molhada, os 37 carros inscritos para a tomada de tempos do Marcas entraram na pista. A pole-position ficou com Luiz Carlos Ribeiro (Fiat Uno 44 – Postos Charrua), que soube se aproveitar melhor das difíceis condições de Tarumã.

Mas, a vida de Luiz Carlos Ribeiro não foi nem um pouco fácil. Fabiano Cardoso (GM Celta 100 – Chevrolet) largando da segunda posição largou melhor e assumiu a ponta, com Luiz Carlos Ribeiro o seguindo. Rafael Mocelin (Fiat Pálio 143 – SampaCar/ Salceiro Pneus) que largava das primeiras posições acabou queimando a largada e perdendo várias posições após ter que cumprir um drive trought. Luiz Ribeiro era pressionado por Gustavo Martins (GM Corsa 11 – Coldbras/ Fila/ Gravatec) enquanto Fabiano Cardoso abria alguma vantagem. Em seguida apareciam Vitor Genz (VW Gol 10 – Markas/ Piquet Blindagens), Eduardo Fuentes (Fiat Uno 88 – Cristal Car), Juliano Fantin (GM Celta 72 – Dimaci), Roger Sandoval (GM Celta 21 – RBM Competições) e Analino “Choka” Sirtuli (GM Corsa 8 – Canaveral Autopeças/ Cristal Vidros). Um segundo pelotão era liderado por Paulinho dos Santos (GM Celta 53 – Menzelub) seguido de Rafael Mocelin que se recuperou de forma impressionante após pagar o drive trought por queima de largada. Luiz Sérgio Sena Jr. (VW Gol 97 – Segurança Vêneto) liderava na classe B com a 11a posição da classificação geral. Na classe N a liderança era de Fernando Nosé (GM Corsa 16 – Stara). O Safety car foi chamado à pista após Isadora Diehl (GM Corsa 7 – Escola Gaúcha de Pilotos/ Tarumã Kart Clube) bater violentamente seu carro no contorno da Curva 2, mas sem maiores conseqüências. Na relargada, as posições se mantiveram. Faltando 5 voltas para o final, Urbano da Silva (GM Corsa 54 – Sergio Paris/ Postos Perdigão) foi acertado na curta do laço pelo Fiat Uno 32 (Supermercado Pfeifer/ Autocentro Santa Fé) de Edson Serdeira que teve problema nos freios. Serdeira conseguiu trazer seu carro para a área de box enquanto que o carro de Urbano ficou em posição perigosa, obrigando a direção de prova colocar o safety car na pista. Na relargada, faltando 2 voltas para o final, Fabiano Cardoso se manteve na ponta, sendo fortemente pressionado por Luiz Carlos Ribeiro. Na volta final, Fabiano Cardoso erra na freada da curva do laço e é superado por Luiz Carlos Ribeiro, Gustavo Martins e Vitor Genz, caindo para o quarto posto.

A segunda bateria com Luiz Carlos Ribeiro novamente na pole-position foi disputada com pista seca. O piloto do Uno 44 fez uma largada perfeita e se manteve na ponta, mesmo sendo pressionado em um primeiro instante por Wilson Jr. que assumiu o Corsa 11. O primeiro pelotão rapidamente foi formado, contando com Ribeiro, Wilson, Pierre Ventura (Gol 10), Eduardo Fuentes, Rafael Mocelin e Vinicius Ferlauto (Celta 100). Um segundo pelotão contava com César Gautério (GM Celta 6 – Diadora/ Guido Watcher), Paulinho dos Santos, Gustavo Frey (GM Corsa 2 – Balas Berbau) e Luciano Cardoso (VW Gol 22 – Stara). Luiz Sérgio Sena Jr. teve que realizar um pitstop com problemas no motor de seu VW Gol e acabou perdendo várias posições. Quem soube se aproveitar dos problemas do líder da classe B foi Ricardo Boéssio (GM Celta 73 – Boessio Transportes) que assumiu a liderança da classe B com o 17o posto na classificação geral. Boessio ainda era pressionado pelo 2o posto da classe B, Ike Halmenscheager (GM Corsa 42 – Spengler). Na classe N, Fernando Nosé repetia a excelente atuação da primeira bateria, liderando a prova, sendo seguido por Henrique Ross (GM Celta 19 – Passion Prata/ MGS Acessórios). À 6 voltas do final, Paulinho dos Santos tenta superar César Gautério no final de reta e os carros acabam se tocando. Pior para Paulinho dos Santos que acabou batendo violentamente seu Celta na proteção de pneus da curva 1. Novamente o Safety car entra na pista neutralizando a competição. Na relargada, Rafael Mocelin que vinha em um dia inspirado inicia uma forte pressão sobre Luiz Carlos Ribeiro pela liderança. Ribeiro consegue resistir e vence a segunda bateria coroando um excelente final de semana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *