Mercedes-Benz Grand Challenge: Punição tira vitória de Coelho em Pinhais; Campos perde liderança

A segunda etapa do Mercedes-Benz Grand Challenge teve um vencedor na pista e outro no resultado final homologado pelos comissários desportivos. Depois de 27 voltas, o mineiro Edson Coelho Júnior foi o primeiro a receber a bandeirada final na corrida deste domingo (23) no Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais (PR). A vistoria técnica, contudo, acabou desclassificando o piloto da RSports, que largou da pole-position.

A desclassificação de Coelho Júnior pelos comissários desportivos foi decorrência do relatório dos comissários técnicos responsáveis pela vistoria – eles auferiram medidas irregulares das entradas de ar inferiores frontais do carro número 99 do piloto, apontando desacordo com o especificado pelo item 6.3.h do regulamento técnico da categoria. Com isso, o paulista Neto de Nigris, segundo no resultado de pista, foi declarado vencedor.

De Nigris, piloto da De Nigris-Gramacho, é o novo líder do campeonato. O primeiro lugar na tabela de pontos era do gaúcho Márcio Campos, da Sicredi Racing, que terminou a etapa paranaense em nono lugar. “Foi uma corrida bem complicada para nós, e o resultado dessa dificuldade foi a perda da liderança do campeonato. Foram vários fatores que atrapalharam a gente aqui, agora o trabalho é para voltar ao primeiro lugar”, expôs o gaúcho.

Terceiro colocado no grid, Campos caiu para sexto na largada. “Errei”, resumiu, assumindo a responsabilidade pela perda de posições. Levando 50 quilos de peso extra no carro, efeito do “Troféu Bigorna” que aplica o lastro ao carro vencedor da etapa anterior do Mercedes-Benz Grand Challenge – havia sido primeiro colocado na corrida do Anhembi, em São Paulo (SP) –, o gaúcho deu início a uma corrida de recuperação, buscando posição de pódio.

Campos já vinha em terceiro e tentava a ultrapassagem sobre Coelho quando o ABS do sistema de freios parou de funcionar. “A equipe viu depois que estourou o retentor do rolamento da roda e vazou graxa no sensor do ABS, que parou de funcionar. Na hora foi complicado, cada frenagem era um drama. O carro começou a travar as rodas e, com isso, tive um pneu furado. Aí, com um pit stop para trocar o pneu, a chance de pódio acabou”, lamentou.

O problema com o ABS deixou Campos em décimo lugar – a punição a Coelho o fez subir para nono. Ele passa a ocupar o terceiro lugar na tabela de classificação do campeonato, a dez pontos do líder De Nigris e um atrás do paulista Rubens Tilkian, que ficou em segundo na etapa paranaense. O carro número 31 do gaúcho exibe as cores e logos de Icatu e Mapfre, seguradoras parceiras da Corretora de Seguros Sicredi.

A terceira etapa do Mercedes-Benz Grand Challenge será disputada no dia 28 de julho no Autódromo Internacional de Tarumã, em Viamão (RS). Após 27 voltas, o resultado da corrida em Pinhais foi o seguinte:

1º) Neto de Nigris (SP), De Nigris-Gramacho, 46min08s136
2º) Rubens Tilkian (SP), Dragão Motorsport, a 0s785
3º) Arnaldo Diniz Filho (SP), Dragão Motorsport, a 1s332
4º) Cesare Marrucci (SP), WRacing, a 34s417
5º) Amorim Júnior (SP), Fiolux-RSports, a 38s061
6º) Peter Gottschalk Júnior/Marcos Paioli (SP), Paioli Racing, a 39s456
7º) Raphael Teixeira/Beto Santos (GO/SP), RSports, a 1min21s149
8º) Rafael Zapelini (SC), Rodoerre Racing, a 1min21s535
9º) Márcio Campos (RS), Sicredi Racing, a 1 volta
10º) Betinho Sartório (ES), Della Via, a 1 volta
11º) Roberto Santos (SP), Della Via, a 3 voltas
12º) Beto Rossi (SP), Della Via, a 4 voltas
NÃO COMPLETARAM
Linneu Lunardi (SP), SBC Trans, a 14 voltas
Fernando Júnior (RS), WRC, a 20 voltas
Peter Michael Gottschalk (SP), Paioli Raing, a 23 voltas
Léo de Nigris (SP), De Nigris-Gramacho, a 25 voltas
DESCLASSIFICADO
Edson Coelho Júnior (MG), RSports
Melhor volta: Diniz Filho, na 22ª, 1min33s482, média de 142,295 km/h

CLASSIFICAÇÃO
Depois de duas corridas, a classificação do Mercedes-Benz Grand Challenge é a seguinte: 1º) Neto de Nigris, 37 pontos; 2º) Rubens Tilkian, 28; 3º) Márcio Campos, 27; 4º) José Fernando Amorim Júnior e Cesare Marrucci, 26; 6º) Marcos Paioli, 17; 7º) Arnaldo Diniz Filho (SP), 15; 8º) Peter Gottschalk Júnior, 14; 9º) Rafael Zapelini, 13; 10º) Betinho Sartório, 12; 11º) Edson Coelho Júnior, 10; 12º) Linneu Linardi e Beto Santos/Raphael Teixeira, 9; 14º) Roberto Santos e Peter Michael Gottschalk, 8; 16º) Beto Rossi, 7; 17º) Jorge Tamake Júnior, 4; 18º) Fernando Júnior, 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *