Mil MIlhas: A patrulhinha brasileira contra o exército estrangeiro

Protótipo brasileiro ZF 01 e equipe Boni GATX/Scuderia 111, dos pilotos brasileiros Paulo Bonifácio, Felipe Giaffone e Vitor Meira, é a principal arma brasileira para vencer a prova.


A prova mais tradicional do automobilismo brasileiro completa 50 anos apresentando uma nova disputa. A Mil Milhas Brasil sempre se caracterizou como uma corrida com uma enorme relação de inscritos, mesclando carros potentes com projetos de fundo de quintal, em que o mais importante era a “ação entre amigos”. Com a profissionalização do automobilismo no Brasil, e as novas exigências do público aficionado, a edição que será realizada no Autódromo de Interlagos (SP) a partir do meio-dia de sábado, 21 de janeiro, apresentará um inusitado grid que reunirá 19 carros estrangeiros, muitos deles da categoria GTP1 da FIA GT, contra 12 nacionais.

“Não digo que vai ser a luta de David contra Golias, mas a batalha entre a patrulhinha brasileira contra o exército estrangeiro. Se eles têm um tremendo arsenal tecnológico, nós também temos um carro rápido e confiável, e uma equipe com a legítima mão de obra brasileira, que é referência internacional, com pilotos e mecânicos de ponta”, avisa Paulo Bonifácio, piloto e chefe da equipe Boni GATX/Scudeira 111, colocando o protótipo ZF 01 de 650 hp como a principal arma tupiniquim contra as investidas de Ferrari, Mercedes, Porsche, Aston Martin, Maserati, Corvette, Lister Storm, Saleen, Alfa Romeo, BMW e Mitsubishi.

Pole position nas duas últimas edições da Mil Milhas Brasil, o ZF 01 será conduzido também por Vitor Meira e Felipe Giaffone, pilotos que sedimentaram suas carreiras no exterior e que neste ano atuarão novamente na IRL (Indy Racing League), que acreditaram no projeto de levar um carro brasileiro à vitória na principal prova de endurance do hemisfério sul.

Acostumado com o nível das competições norte-americanas, Meira está orgulhoso em fazer parte pela primeira vez do time brasileiro. “Antes de tudo, quero agradecer a oportunidade que o Boni está me dando de participar de uma das equipes mais bem estruturadas que já conheci. Depois de correr tantos anos lá fora, tenho excelentes referências do que é bom e do que funciona no automobilismo”, declarou o piloto brasiliense, que iniciou sua carreira há mais de dez anos na Inglaterra. “Estou valorizando demais esta minha participação e creio que iremos fechar esta prova com chave de ouro”, acredita o brasiliense, segundo colocado nas 500 Milhas de Indianápolis, e que em 2003 venceu a Mil Milhas na categoria Protótipo Nacional e foi segundo colocado na Geral.

Piloto com a maior experiência no protótipo ZF 01, Felipe Giaffone está entusiasmado com a possibilidade de inscrever o seu nome ao lado de seu pai Zeca Giaffone como vencedor da prova de gala do automobilismo nacional. “É a Mil Milhas em que estou mais animado, pois é a vez em que estamos mais bem preparados”, afirma o piloto considerado um dos mais rápidos da IRL. “Apesar de ser um carro feito no Brasil pela ZF, não tem nenhuma invenção caseira. Ele foi baseado no Riley Scott, um dos maiores vencedores de provas de longa duração nos Estados Unidos e, portanto, é um protótipo aprovado. Com um novo motor Ford mais apropriado a ele e à prova, com injeção eletrônica, dá para bater de frente com o pessoal que veio de fora”.

A presença dos potentes carros e principais equipes e pilotos do Mundial de GT da FIA, numa prova com mais de 1.600 km de extensão em Interlagos, ao contrário do que possa parecer, será um trunfo para o leve e potente carro brasileiro. “Nos dois últimos anos fizemos a pole na Mil Milhas, aprendemos muito sobre o ZF e alcançamos o objetivo de terminar a prova. Agora estamos focados na vitória”, planeja Carlos Chiarelli, engenheiro-chefe da Boni GATX/Scuderia 111, responsável pela preparação e manutenção do principal protótipo brasileiro nas provas de longa duração. “Com a nova formatação da Mil Milhas, com a participação só de carros rápidos, irá diminuir o tráfego durante a prova e poderemos desenvolver todo o potencial do protótipo. O início da corrida será muito importante para nós. Estratégia e pilotos de ponta nós temos para figurar na frente dos carrões europeus e norte-americanos”, conclui o técnico.

Os 31 carros inscritos entram na pista nesta quarta-feira (18/1) para iniciarem os primeiros treinos livres e classificatórios, que continuarão no dia seguinte. A sexta-feira está reservada para ações promocionais, sem que os bólidos entrem na pista. A largada será ao meio-dia de sábado, com chegada prevista por volta das 23 horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *