Mil Milhas Brasil: Pedro Lamy busca vitória e título na Mil Milhas Brasil

Ex-piloto de Fórmula-1 fala sobre a decisão da Le Mans Series no Brasil.

Maior nome do automobilismo português nos últimos anos, Pedro Lamy busca mais um título nesta temporada. Ex-piloto de Fórmula-1, Lamy lidera a classificação geral da Le Mans Series e precisa terminar a última etapa à frente do carro do francês Jean-Christophe Bouilin, da Pescarolo Judd, para conquistar o campeonato de Endurance mais importante do mundo. A decisão será na Mil Milhas Brasil, no dia 10 de novembro, em Autódromo de Interlagos. Principal favorito, o português falou sobre o circuito de Interlagos, 24 Horas de Le Mans, o badalado protótipo 908 da Peugeot e o futuro do automobilismo com carros diesel. Confira a entrevista:

Qual é a sua expectativa para a Mil Milhas Brasil? Por estar na melhor equipe, conhecer a pista e a Mil Milhas Brasil – prova em que foi segundo colocado na última edição – podemos afirmar que você é o grande favorito?
PEDRO LAMY: As expectativas são boas. Estou em uma equipe competitiva com um carro muito rápido e com um companheiro forte, o Stephane Sarrazin. Somos uns dos favoritos, afinal estamos na liderança do campeonato. No entanto, a vantagem que tínhamos antes da última prova caiu, eram 10 pontos e agora estamos a 2 do segundo colocado. Ou seja, tudo está em aberto para esta corrida, mas ainda somos favoritos.

É óbvio que o fato de conhecer a pista de Interlagos também ajuda, mas a Le Mans Series é disputada por pilotos profissionais e experientes que se adaptam rapidamente a todas as pistas, por isso não levo muita vantagem com esta experiência.

Quais serão as principais dificuldades que os pilotos devem enfrentar na Mil Milhas Brasil?
PEDRO LAMY: A Mil Milhas Brasil é bastante longa, podendo chegar as 10 horas de duração, e em uma prova destas tudo pode acontecer, desde problemas mecânicos a erros cometidos pelos pilotos. Além disso, o calor em Interlagos e as chuvas repentinas tornam as coisas ainda mais complicadas.

Como a equipe Peugeot encara esta prova no Brasil?
PEDRO LAMY: Encara com grande pressão principalmente por ser a última corrida da temporada, decisiva para o campeonato, e a mais longa do ano. Mas a Peugeot vai dar o seu melhor para obter um bom resultado.

Com a entrada de novas equipes de fábrica e a expansão do campeonato para outros países você acredita que logo teremos um campeonato Mundial da Le Mans Series?
PEDRO LAMY: Não penso desta maneira porque há vários campeonatos fortes nos Estados Unidos, na Europa e até no Japão. Além disso, a criação de um Campeonato do Mundo seria um acréscimo de custos muito grande e isso obrigaria as equipes a ter muito mais dinheiro para participar.

O que faltou para a Peugeot vencer as 24 Horas de Le Mans?
PEDRO LAMY: A concorrência é muito forte e faltou experiência. A Audi, vencedora deste ano, conta com uma longa experiência em Le Mans, rapidez e confiabilidade. Mas a Peugeot está trabalhando para melhorar em todos os aspectos.

Como é o convívio entre os pilotos da Peugeot? Afinal vocês estão disputando o título da Le Mans Series nesta temporada.
PEDRO LAMY: Vive-se um bom ambiente na equipe e o convívio entre todos os pilotos é saudável. Obviamente quando entramos na pista as coisas mudam um bocado porque estamos lutando pelo melhor resultado para o nosso carro. Apesar da grande competitividade nos damos bem.

Nesta altura do campeonato o nosso carro (número 8) está em primeiro e o outro 908 da Peugeot (número 7) está 8 pontos atrás, sendo assim o nosso rival direto é a Pescarolo, que está apenas a 2 pontos.

Quais as principais diferenças entre o Peugeot 908 e um carro de Fórmula-1?
PEDRO LAMY: Em primeiro lugar, ao contrário dos Fórmulas, o Peugeot é um carro fechado. O Protótipo da Peugeot foi concebido para corridas longas e é, por isso, muito mais pesado, o que muda completamente a performance do carro. A diferença de potência não é tão grande e o Protótipo pode alcançar velocidades semelhantes em pistas rápidas. No entanto, o Fórmula é muito mais leve e nota-se muito mais a potência do carro, por exemplo, na saída das curvas.

Você acha que a tendência é de os carros de competição utilizarem a tecnologia diesel (como a Peugeot e a Audi)?
PEDRO LAMY: Há alguns anos ninguém pensaria que carros diesel disputariam este tipo de corrida, mas neste momento há cada vez mais equipes utilizando esta tecnologia, devido aos avanços dos carros do dia-a-dia. Por isso o futuro pode muito bem passar por aí.

Lamy, deixe uma mensagem para os fãs brasileiros.
PEDRO LAMY: Apareçam no Autódromo de Interlagos porque vão gostar muito de ver a Peugeot e todos os outros carros que participam deste campeonato. Esta é a corrida decisiva da Le Mans Series e vai valer a pena estar lá para assistir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *