Mil Milhas Brasileiras: Xandy e Xandinho Negrão voltam a correr juntos

Pai e filho não competem na mesma equipe desde o Campeonato Brasileiro de Endurance em 2005, e agora terão Andreas Mattheis como companheiro ao volante.

A Mil Milhas Brasil marcará o retorno de uma dupla vitoriosa no automobilismo nacional. Depois de dois anos, Xandy e Xandinho Negrão competirão juntos, desta vez na prova mais tradicional do País. Pai e filho dividirão o volante de uma Ferrari 430 GT2, da equipe JMB, com o experiente Andreas Mattheis. A corrida, que neste ano se internacionalizou e encerrará a temporada da Le Mans Series, será no dia 10 de novembro no Autódromo de Interlagos, na zona Sul de São Paulo.

“É sempre um prazer correr com meu pai. Ele é meu ídolo no automobilismo e sabe muito sobre corridas de carro”, disse Xandinho (Medley Genéricos), que correu pela última vez com o pai em Santa Cruz em 2005, quando os dois venceram a etapa do Brasileiro de Endurance pilotando o Audi TT DTM.

Campeão da Fórmula-3 Sul-America em 2004, o jovem piloto de 22 anos competiu nas três últimas temporadas na GP2, categoria de acesso à Fórmula-1. Em seu currículo, Xandinho ainda tem uma vitória na Mil Milhas Brasil de 2005 e o título do Brasileiro de Endurance de 2005.

“Faz algum tempo que não ando num carro de turismo, mas acho que a readaptação não será problema. Como a Ferrari 430 GT2 tem várias sofisticações tecnológicas, como controle de tração e câmbio seqüencial no volante, tudo ficará mais fácil. Pena que só dá para tomar o primeiro contato na semana da corrida”, completou Xandinho, inscrito na LMGT2.

Experiente, Xandy Negrão mantém a cautela para a corrida mais tradicional do País – que nesta edição, de acordo com as normas da Le Mans Series, terá os carros divididos em quatro de categorias: LMP1, LMP2, LMGT1 e LMGT2.

“Este carro é pelo menos três segundos mais rápido do que a Ferrari utilizada na GT3 Brasil. O carro da GT3 é praticamente um modelo de rua, com adaptações para a pista. Vamos brigar pelo título da classe, porque encarar os LMP1, LMP2 e LMGT1 será difícil”, analisa Xandy.

Retornando da aposentadoria, Andreas Mattheis nunca correu com Xandinho. Andreas, que não competia desde 1994, voltou neste ano na GT3 Brasil. O piloto readaptou-se com facilidade, pois – ao lado de Xandy – ganhou uma prova com o Dodge Viper Coupé e outra com a Lamborghini Gallardo.

“A JMB é uma das equipes mais fortes do campeonato da LMGT2. Na nossa categoria, apesar da vinda de alguns Porsches, os principais adversários serão as outras Ferrari 430. Uma delas será o segundo carro da JMB, dividido pelo Chico e Daniel Serra e pelo Francisco Longo”, disse Mattheis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *