Motocross: Brasil busca classificação para a final do Motocross das Nações neste sábado

Motocicletas do Team Honda passaram pelas vistorias técnicas e estão prontas para o evento considerado a Copa do Mundo da modalidade em Donington Park, Inglaterra.

O Brasil busca neste sábado a classificação para as baterias finais do Motocross das Nações 2008 em Donington Park, Inglaterra. Antônio Jorge Balbi Júnior (categoria Open), Leandro Silva (MX1) e Wellington Garcia (MX2), do Team Honda, entram na pista com o objetivo de conquistar um lugar entre os 19 times mais rápidos, os quais se classificam direto para as corridas decisivas no domingo. Quem ficar abaixo desta posição disputa a chamada Bateria B, que disponibiliza apenas uma vaga para a fase final.


Foi vencendo a Bateria B que o Brasil se classificou pela primeira vez à decisão, fazendo história no ano passado com o mesmo trio de pilotos que está na Inglaterra. O elenco nacional terminou na 16a posição, sendo que os campeões foram os Estados Unidos correndo em casa. “As nossas expectativas são boas. O objetivo principal é não estar na Bateria B para dar um passo melhor do que o de 2007”, comentou Wilson Yasuda, chefe de equipe da delegação brasileira.


A pista de 1,6 qu ilômetro foi considerada uma mescla do estilo de circuito europeu com o norte-americano. “A pista foi construída com grandes saltos, o que pode deixar os pilotos nacionais mais à vontade”, continuou Yasuda. Nesta sexta-feira, os competidores brasileiros tiveram um dia de descanso para suportar o final de semana intenso que os aguarda (veja a programação completa abaixo).


Vistoria – Às vésperas do Motocross das Nações 2008, as motocicletas do Team Honda passaram pelas vistorias técnicas e estão prontas para entrar na pista. Balbi e Leandro Silva competem com uma Honda CRF 450R, sendo que Wellington Garcia utilizará a Honda CRF 250R. “Está tudo pronto. Colocamos pneus especiais, mais leves e com mousse, o que evita qualquer furo. A Martin Racing (equipe italiana que faz o apoio do Brasil) checou todos os equipamentos, averiguando os apertos e os ajustes”, concluiu Yasuda, que supervisionou todo o trabalho de perto.


Em sua 62a edição, o Motocross das Nações é uma competição por equipes, ou seja, vale o resultado somado dos três pilotos de cada país. No total, competidores de 35 localidades estarão na pista – entre eles países exóticos como a estreante Mongólia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *