MotoGP: Chefão ameaça: “Se a Kawasaki não correr, vou ao tribunal”

Se antes mesmo de a Kawasaki ter confirmado sua saída da MotoGP o chefão da categoria, Carmelo Ezpeleta, já atacava os japoneses, agora que a notícia se tornou oficial o mandatário ficou ainda mais irritado. Garantindo que a montadora é obrigada a participar da temporada 2009 por contrato, o espanhol disse que vai aos tribunais caso a categoria realmente perca uma de suas equipes.

Depois de muitas especulações, a Kawasaki oficializou no último dia 9 a informação que havia sido divulgada pelo diário italiano Tuttosport ainda em dezembro, desligando-se das atividades esportivas em função da crise econômica mundial. Ezpeleta, que antes mesmo do anúncio já vinha ameaçando a fábrica sediada em Osaka, contou nesta quarta-feira que ela não pode abandonar as competições.

“Há um acordo até 2011 da Dorna (empresa detentora dos direitos comerciais da MotoGP) e as equipes: em setembro todos comunicaram com quantas motos correriam, inclusive a Kawasaki. Apesar de não haver multa, não se pode romper um compromisso”, esbravejou o dirigente em entrevista à Gazzetta dello Sport.

Questionado sobre o que disse aos representantes da marca quando a notícia ganhou ares oficiais, Ezpeleta revelou uma contraproposta. “Propus que eles corressem em 2009, e em troca eu os deixaria livres para 2010 e 2011. O problema é que eles têm motores prontos para 25% do campeonato e não queriam desenvolver outros. Assim consegui uma empresa na França capaz de fazer isso. O único obstáculo agora é que os japoneses encontrem essas pessoas e aceitem o programa de trabalho”.

Nesse contexto, o espanhol se mostra otimista com a possibilidade de manter o grid da MotoGP com 19 motocicletas. “Penso que tudo se resolverá. A equipe deve continuar administrada por Michael Bartholemy e é importante que se salvem (os pilotos) John Hopkins e Marco Melandri, eles são um patrimônio do campeonato: além de já terem sido pagos, não é justo que parem por um ano. De qualquer forma, o problema é da Kawasaki: se não correrem, os levarei ao tribunal”.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *