MotoGP: Rossi dispara contra ‘elitismo’ na MotoGP

Embora integrante de uma das escuderias mais poderodas da MotoGP, a Fiat Yamaha, Valentino Rossi mostra preocupação com os colegas que não têm a mesma oportunidade. Para o italiano, precisam ser tomadas medidas para diminuir a força das motocicletas de fábrica, que vêm dominando aquelas de times pequenos nos últimos anos.

Com três grandes montadoras dividindo o favoritismo na MotoGP, Yamaha, Ducati e Honda, as equipes independentes, que utilizam motos secundárias dessas mesmas marcas, têm ficado sem chances de brilhar a partir do aumento de custos e das ‘sofisticações’ dos equipamentos, conforme assinalou Rossi à revista Motosprint.

Assim, nenhuma equipe menor venceu na categoria desde 2006, quando Toni Elias levou a Honda Gresini ao triunfo em Estoril. “Nossas motocicletas estão tão sofisticadas que apenas poucas fábricas podem fazê-las”, disse à o atual campeão do mundo, garantindo ainda que esse contexto obrigou o grid a diminuir neste ano para apenas 18 motos.

“Portanto o número de pilotos ficou reduzido, e não há mais times privados. Até 2006 equipes assim podiam lutar pelo título, como fez (Marco) Melandri”, continuou Rossi, em menção ao compatriota vice-campeão da MotoGP também a bordo da Honda Gresini. “Desde 2007, com as 800cc, o diferença entre grandes e pequenos ficou enorme, e nosso esporte se tornou elitista demais, o que não é bom”.

Exibindo conhecimento de causa, o dono de cinco títulos na elite do motociclismo ainda deu o que seria parte da solução desse problema.

“Porque as minhas motos têm de ser jogadas fora no fim de cada ano em vez de serem vendidas a uma escuderia independente que poderia empregar mais dois pilotos?”, perguntou-se o homem de Urbino. “Chegamos a um nível em que a Yamaha não quer que os outros vejam como seu equipamento foi fabricado, mas assim fica difícil haver um grid legal, que para mim deveria englobar 24 pessoas”.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *