Motovelocidade: Brasileiro volta a Interlagos para quinta etapa

Pilotos do Team Scud Petrobras ocupam as duas primeiras posições na tabela de classificação da categoria Superbikes.


O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade volta a armar seu “circo” no Autódromo Municipal José Carlos Pace, no bairro paulistano de Interlagos, para as provas da quinta etapa. As disputas marcadas para este domingo (27) vão marcar o início da segunda metade da temporada de 2006, abrindo, também, a fase que vai apontar os candidatos ao título em cada uma das cinco categorias em que a competição se subdivide.

Na categoria Superbikes 1.000cc, a principal do Brasileiro, o domínio tem sido dos pilotos que defendem o Team Scud Petrobras. Gilson Scudeler, quatro vezes campeão da Supersport, conquistou duas vitórias e dois segundos lugares nas quatro primeiras corridas e comanda a tabela de classificação com 90 pontos. Está 13 à frente do companheiro de equipe Pierre Chofard, que tem uma vitória, um segundo e dois terceiros lugares.

Scudeler comemora o bom momento da equipe, cujas motocicletas Honda CBR 1000RR são decoradas nas cores de BR Petrobras, GP Lubrax, Honda, Öhlins, Akrapovic, Shark, Arlen Ness, Samacar, Black Vision, Pro Heads, Luna, Calfin e Alpinestars. “Tem sido um grande ano para nós, mas as dificuldades vão se tornar mais evidentes a partir de agora, com o campeonato se encaminhando para a fase decisiva”, ele analisa.

Os testes feitos na última semana em Interlagos trazem boa perspectiva a Scudeler. “Com a evolução que obtivemos no desenvolvimento das novas motos, consegui baixar meu tempo de volta em 1s5 em relação aos tempos da primeira etapa”, revela, lembrando que o circuito paulista recebeu, também, as provas que abriram a temporada. “O Pierre também melhorou um segundo. Com certeza, ele vai ser um adversário fortíssimo”.

Os dois pilotos do Team Scud Petrobras vão voltar à pista em Interlagos nesta quarta-feira (23), para mais sessões de treinos. “Vamos trabalhar, mais uma vez, na busca pelo acerto ideal, acredito que seja possível melhorar um pouquinho mais os nossos tempos. Nós estamos num bom nível de competitividade, mas precisamos lembrar que os adversários também estão trabalhando muito e que as próximas provas serão ainda mais difíceis”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *