Motovelocidade: Scudeler, tetracampeão, vai defender a Honda na categoria Superbikes

Após conquistar por quatro temporadas consecutivas o título da categoria Supersport, até então a principal do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, o paulista Gilson Scudeler assume um novo desafio para 2006. O piloto do Team Scud Petrobras confirmou nesta terça-feira (21) uma nova parceria com a Honda e passará a defender a marca a partir deste ano, agora competindo na categoria Superbikes, que constitui a principal novidade da competição.

A nova categoria, que terá na pista as motocicletas com motores de 1.000 cilindradas, com 180 cavalos de potência. São máquinas capazes de desenvolver velocidades acima dos 300 km/h nos autódromos brasileiros. Scudeler vai pilotar uma Honda CBR 1000RR, similar à que será utilizada por Alexandre Barros nas 13 rodadas duplas do Mundial de Superbikes, com algumas diferenças básicas de preparação decorrentes dos regulamentos técnicos distintos.

Gilson passa a ter a Honda como patrocinadora e fornecedora de motos depois de uma bem sucedida parceria de cinco anos com a Kawasaki. “A parceria com a Kawasaki foi muito produtiva, tanto para a marca quanto para a equipe, nós conquistamos um vice-campeonato e quatro títulos brasileiros. Foi uma fase muito marcante da minha carreira”, reconhece o piloto. “A partir de agora, serão vários novos desafios ao lado da Honda”, observa o piloto.

PARCERIA RETOMADA

O tetracampeão brasileiro nutre boas expectativas para sua estréia pela marca. “A Honda, nos últimos anos, conquistou vários títulos mundiais de MotoGP e de Superbikes. Agora, nós pretendemos manter essa seqüência de vitórias aqui no Campeonato Brasileiro. A categoria Superbikes vai ser muito competitiva, o que não vai faltar é trabalho”, diz. Gilson, em 2005, pilotou motos da Honda em duas etapas do Campeonato Português e em uma prova do Espanhol.

O vínculo com a marca da maior fabricante de motocicletas do Brasil, no entanto, vem de muito antes. Em 1992, Gilson foi terceiro colocado no Brasileiro de Fórmula Honda CBR 450SR. No ano seguinte, também com a Honda, estreou no Campeonato Espanhol de Open Ducados, em Jerez, com um décimo lugar. Em 1994, foi segundo no Brasileiro de Superprodução, décimo no Espanhol da Open Ducados e campeão do Português de Velocidade, com cinco vitórias.

A parceria seguiu em 1995, ano em que Scudeler obteve uma vitória, dois segundos, um terceiro e dois quartos lugares no Português de Superbikes. Ainda naquele ano, conquistou uma vitória e um segundo lugar no Europeu, em Braga, foi terceiro na etapa do Espanhol de Open Ducados na Catalunha e ficou em sexto no World Thunderbike Trophy. Em 1999, o piloto deu à Honda o segundo lugar no Português de Supersport e conquistou o Europeu de Supersport Braga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *