Old Stock Race: Domenech e Viehmann vencem a quarta etapa em Interlagos

Novamente sem poder contar com a presença do público fiel nas arquibancadas, a Old Stock Race e Opala 250 realizaram mais duas baterias, válidas pela quarta etapa do Campeonato Paulista, e desta vez os pilotos tiveram que mostrar muita habilidade no Autódromo Internacional José Carlos Pace na zona sul da cidade de São Paulo com destaque para dois deles: Ricardo Domenech, que venceu as duas vezes pela Old Stock Race e Konrad Viehmann, que levou a vitória pela Opala 250 nas duas provas, fazendo o campeonato ficar mais acirrado entre ele e Giovani Almeida.
 
Na largada da primeira prova Pimenta contornou o “S do Senna” na ponta, com Grego Lemonias tentando tomar sua posição e Felipe Matos pelo lado de fora também arriscando uma ultrapassagem. Na linha de trás, Marcos Philippi, Ricardo Domenech, Evandro Camargo e Marco Maragno, fizeram praticamente juntos o contorno ate a entrada da reta oposta. Pimenta conseguiu abrir alguns metros de vantagem de Lemonias e Marcos Philippi emparelhou seu Opala com Felipe Matos na curva do lago conseguindo a ultrapassagem na subida do laranjinha, se mantendo na posição por algumas voltas, mas não sem ser atacado todo o tempo pelo piloto do Opala 93.

Pela Opala 250, categoria que além de ter em seu grid Opalas de todos os modelos, também conta com as Caravans, Cristian Cordeiro e Konrad Viehmann duelaram praticamente durante toda a prova, ambos com suas Caravans, 333 e 73 respectivamente, alternando as posições e enfrentando também carros da Old Stock Race curva a curva. La na ponta, Pimenta e Grego mantiveram se muito próximos o tempo todo, abrindo uma distancia razoável do segundo pelotão, ate que o Opala do líder do campeonato na Categoria Opala 250, Giovani Almeida rodou no “S do Senna” e o motor apagou, sendo necessária a intervenção do Safety Car, reagrupando todos os carros.
 

Faltando três voltas para o final, a bandeira verde foi agitada e na freada do final da reta principal o Opala de Grego Lemonias tocou a lateral do carro de Pimenta, que o fez perder o traçado indo para a área de escape. Com isso Lemonias assumiu a ponta e Pimenta passou a ser atacado por Rodrigo Helal, que relargou em terceiro, após um inicio de prova com problemas, nisso Domenech também se juntou ao pelotão e passou a atacar Helal e posteriormente o carro 451.
Abrindo a penúltima volta, Pimenta conseguiu emparelhar seu carro com o de Grego na descida do lago e quando os dois Opalas apontaram na curva do laranjinha se tocaram porta com porta, fazendo com que o Opala 451 rodasse, perdendo a posição novamente para o 18, que passou a ser atacado por Ricardo Domenech e Felipe Matos, após ambos ultrapassarem o Opala 113 de Helal com problemas elétricos.

Abrindo a última volta, Ricardo Domenech se aproximou ainda mais de Grego e no final da reta oposta os dois carros ficaram emparelhados, ate que Lemonias passou reto na curva e foi parar na caixa de brita. “Na reduzida eu pisei no freio e o pedal foi ate o fundo, pois as pastilhas se desgastaram demais, esquentando o sistema e isso fez o fluido vazar muito rápido sem que eu tivesse tempo de perceber, então o instinto foi jogar o carro na caixa de brita para ele parar, antes que tomasse a direção da proteção de pneus, o que poderia ter causado um acidente muito serio na velocidade que eu vinha.” disse Grego após a prova.
 
Ricardo Domenech partiu para a vitória, com Felipe Matos chegando em segundo, Pimenta em terceiro e completando o pódio, Amaury Biem em quarto, Marco Maragno em quinto e Ciro Paciello em sexto.
Pela Opala 250, Konrad Viehmann foi o vencedor, Cristian Cordeiro o segundo, Perseu Alarcon o terceiro, Carlos Freire o quarto, Alberto Scarasati o quinto e Eduardo Conradt o sexto.
 
A segunda prova, no período da tarde, teve um componente especial: a chuva que estava prometida ainda para o treino do sábado e não veio, chegou de forma até que tímida ainda no alinhamento dos carros no grid, o que pegou a todos de surpresa, caindo inicialmente na parte próxima ao final da reta oposta e em seguida cobrindo todo o autódromo, mesmo que com pouca intensidade, mas o suficiente para encharcar o asfalto, que passou o final de semana inteiro recebendo várias categorias do campeonato acumulando detritos de borracha e alguns pontos de óleo em determinados trechos. Isso comprometeu significantemente o andamento da prova, pois os Opalas e Caravans agora tinham mais uma preocupação: a de procurar um traçado melhor para contornar as curvas e escolher um ponto de frenagem seguro.
 
Na largada, Felipe Matos se deu muito bem colocando o Opala 93 no final da reta dos boxes e mesmo vindo pelo lado de fora da curva na primeira perna do “S do Senna”, manteve a linha de traçado, obrigando Domenech a fechar mais a curva para não haver o toque e com isso Matos conseguiu contornar a segunda parte da curva por dentro, apontando na reta oposta na primeira colocação. Na curva da junção Domenech atacou Felipe que, para se defender, mudou o traçado e com isso deu a chance de Ricardo completar a manobra à sua frente subindo para a reta dos boxes novamente na ponta, porém na entrada da curva do Sol Domenech passou do ponto atingindo a parte de terra da pista perdendo a posição e ficando para trás.
 
Felipe assumiu novamente a liderança da prova, sendo agora perseguido por Marco Maragno, Amaury Biem e Grego Lemonias. O piloto do Opala numeral 18, que largou em 20º, na abertura da segunda volta já era quarto colocado e na entrada da reta oposta fez a ultrapassagem sobre Maragno e Biem, assumindo a segunda posição, partindo para o ataque direto a Felipe Matos, conseguindo assumir a ponta na descida do lago. Pela Opala 250 Cristian Cordeiro da Caravan 333 largou muito bem, ultrapassando Konrad Viehmann e Ciro Paciello, chegando figurar na quarta posição nas primeiras voltas.

Ao completar a oitava volta, Grego Lemonias avistou uma placa com os números 01 (zero e hum) mostrados pelo fiscal no PSDP (Posto de Sinalização da Direção de Provas), a qual ele interpretou como sendo a indicação de que faltava apenas uma volta para o termino da prova, já que ele estava sem comunicação de rádio com a equipe, se valendo apenas das informações visuais dadas pelos fiscais de pista nos postos de sinalização, mas na verdade a placa era uma de advertência para o carro numeral 1 de Evandro Camargo, o que levou Lemonias a poupar o carro, pois a vantagem era razoável em relação ao segundo colocado e Domenech, que passou a imprimir um ritmo mais forte chegando a cravar por mais de uma vez a volta mais rápida da prova. Quando Lemonias completou a nona volta, o Opala numeral 17 já estava em seu retrovisor, chegando ao final da reta dos boxes praticamente junto com Grego.
 
Nas duas últimas voltas Domenech e Lemonias duelaram curva a curva até a chegada, com o Opala numeral 17 recebendo a bandeira quadriculada apenas 0s038 à frente de Grego. Porém, a direção de provas puniu o opala numeral 18 por queima de largada, acrescentando 20 segundos ao tempo total de prova de Lemonias. Com isso, Felipe Matos subiu para a segunda colocação, Marcos Phillipi, que também fez uma excelente prova ficou em terceiro lugar, Rodrigo Helal foi o quarto e completando o pódio George Lemonias o quinto e Matheus Martins o sexto.
 
Pela Old Man, classe para pilotos da Old Stock Race acima de 55 anos, a vitória foi de Marcos Philippi, Grego Lemonias foi o segundo, Ciro Paciello o terceiro e Pimenta o quarto colocado.
 
Na Opala 250, Konrad Viehmann conseguiu ultrapassar Cristian Cordeiro e foi o vencedor de mais uma prova, sua terceira na temporada, com Eduardo Conradt ficando em segundo, Carlos Freire foi o terceiro, Perseu Alarcon o quarto e completando o pódio, Cristiano Cordeiro foi o quinto e Giovani Almeida o sexto.

As categorias voltam para mais uma etapa, a quinta da temporada no dia 22 de novembro, em Interlagos e com grande expectativa de liberação das arquibancadas para o público amante do automobilismo, resta aguardarmos a decisão dos dirigentes do Autódromo e os órgãos de saúde.

Os Opalas e Caravans da Old Stock Race e Opala 250 são equipados com pneus Pirelli, discos de freio Fremax e pistões AFP.
 
Confira as duas provas da terceira etapa em nosso canal oficial do Youtube em http://www.youtube.com/oldstockraceoficial
Fotos: Humberto Silva/OSR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *