Outras: Autódromo de Abu Dhabi impressiona Bruno Senna

Brasileiro diz que novo traçado da Fórmula 1 é “seletivo”.

Convidado especial dos organizadores para a apresentação das categorias-suporte da estréia do GP de Abu Dhabi, Bruno Senna ficou impressionado com a grandiosidade, beleza, funcionalidade e requinte das instalações do Yas Marina Circuit. O piloto brasileiro visitou as instalações do autódromo nesta quarta-feira, percorreu o traçado de 5.550 metros com um veículo de passeio e retornaria à noite para Londres com a sensação de que a Fórmula 1 ganhou a sua praça mais moderna.

As obras do complexo continuam em ritmo acelerado para a prova de fechamento do campeonato, marcada para 1º de novembro. Algumas áreas, no entanto, já estão completamente concluídas. “A pista tem 18 metros de elevação e ficou pronta com grande antecedência em relação à data da prova. Com isso, o asfalto terá o prazo de cura necessário para evitar o risco de se soltar quando os carros começarem a andar”, elogiou.

De acordo com Bruno, as novidades no projeto assinado pelo arquiteto alemão Herman Tilke surpreenderão pilotos, público e telespectadores. “A saída do pit lane se dá por meio de um túnel que passa sob a pista. Algumas arquibancadas, como a do Setor Oeste, são coladas no circuito. Nesta, localizada num dos grampos do traçado, a área de escape fica embaixo do público. É um ponto onde os carros frearão violentamente, depois de chegar perto dos 300 km/h. Quem passar reto vai parar debaixo da galera.”

Embora com várias curvas de baixa velocidade, que de certa forma seguem o padrão dos últimos autódromos que entraram no calendário da Fórmula 1 com a chancela de Tilke, Bruno acredita que o traçado oferecerá alguns bons pontos de ultrapassagem. “Eu diria até que é bastante seletivo. Não é como o do Bahrein, onde dá para passar em pelo menos quatro lugares, mas dá para ganhar posições, sim. A reta de 1,2 km, que será a maior da Fórmula 1, vai ajudar neste aspecto. Algumas curvas são muito loucas e passam muito perto do muro, como na Fórmula Indy. Acho que ficou uma mistura legal”, continuou.

As instalações para as equipes, convidados e imprensa também chamaram a atenção de Bruno. “Os boxes, em número de 40, são enormes. A exemplo das áreas Vips e do centro de mídia para 600 jornalistas, têm dois andares e terraço. A ideia do governo local é transformar o autódromo numa arena multiuso. Uma das arquibancadas, por exemplo, pode ser usada como auditório e espaço para shows, já que dispõe de acústica excelente. O hotel está quase terminado e vai deixar todos de boca aberta.”

Além da Fórmula 1, o programa oficial do GP de Abu Dhabi será completado pela Fórmula GP2 Ásia, Porsche Cup e Supercars V8. Bruno não descarta a possibilidade de regressar aos Emirados Árabes Unidos no final da temporada. “Se houver uma proposta para correr nessas categorias, é claro que vou considerá-la.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *