Papo de Box: Controle de Tração – segurança ou competição?

Com o passar dos anos na F1, os pilotos idealizaram por várias fases e décadas a segurança e principalmente a competição nas pistas. A eletrônica, com o tempo fez um papel muito importante no circo, principalmente porque limita o trabalho excessivo do piloto que o corrige de pequenos erros.

A essa importância levamos em conta que em 1994 Ayrton Senna correu praticamente sem nenhuma ajuda  na Williams, o que resultou em um final de semana terrível em Ìmola, já as equipes vinham de um forte desenvolvimento tecnológico, e o time inglês havia ganho o campeonato do ano anterior graças também a toda essa tecnologia embarcada em seus modelos.

A partir daí  regras foram alteradas com a finalidade de aumentar segurança nas pistas. Introduziram o Hans, o cockpit passou ser uma célula de sobrevivência que suporta impactos de até 25 toneladas, para a aerodinâmica dos carros passou-se a utilização mais eficiente do túnel de vento, idealizando mais velocidade e ao mesmo tempo obtendo o downforce  dos carros nas pistas, e a chegada do controle de tração, um sistema de segurança ativo usado nos carros que impede que as rodas percam a tração, reduzindo que essas girem em falso.

Na chuva o controle de tração torna-se essencial para que o F1 não derrapem e deslizem na pista, item muito importante para evitar o acontecimento de acidentes de grandes proporções.

Para 2008 a FIA baniu esse item, levando a polêmica novamente  para a mídia sobre a segurança e competitividade nas pistas, principalmente em GPs com chuva, o que vai exigir ainda mais habilidade e cuidado dos pilotos.

Massa  e Kovalainen acreditam nessa possibilidade, deixando aberta a polêmica de mais uma mudança da FIA em um assunto de grande importância para a categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *