Papo de Box: Fernanda Parra estréia coluna no SpeedRacing.com.br

Oi pessoal! Esta é a minha primeira coluna, então gostaria de agradecer o site SpeedRacing pelo convite e oportunidade!! No ano que vem vou fazer essa coluna após cada corrida, para contar um pouco sobre cada experiência que tive!!


Um detalhe é que eu ainda não sei em que categoria vou andar… o objetivo é a StockCar Light!  Mas, se não der pra ir pra Light, vou andar no Campeonato Paulista de Força Livre e também no Brasileiro de Endurance, em ambos com o Omega da equipe Katalogo Racing. Por enquanto, é esperar e torcer pra que tudo de certo!

Bom, vou começar contando pra vocês um pouco da minha extensa (rs) carreira no automobilismo. Eu comecei a correr no ano passado, depois que eu fiz o curso de pilotagem do Roberto Manzini em Interlagos. Meu pai foi piloto e hoje tem uma equipe de StockCar, a Katalogo Racing. Então eu sempre acompanhei as corridas dele ou da equipe. No começo do ano passado, depois que voltei dos Estados Unidos, onde morei por 5 anos, fiz o curso com a minha irmã. Ela não gostou, mas eu gostei muito. Então comecei a “encher” o meu pai pedindo pra ele arrumar um carrinho pra eu andar. Em Junho, 5 meses depois, acho que ele não agüentou mais e arrumou o carrinho pra eu andar! Fiz minha primeira corrida num corsa da Equipe Nilma Racing, no Paulista de Marcas e Pilotos. Fiz 4 corridas de Corsa nessa categoria. O bom é que ela é muito disputada (tem 25 carros que andam quase iguais) então dá pra aprender bastante.

Mas como o que eu sempre quis foi andar na StockCar, meu pai aconselhou a começar a andar num carro de tração traseira, já que os carro da Stock também são de tração traseira e a guiada é um pouco diferente. Ela tem que ser mais “redonda” e com mais atenção na hora de acelerar. Então, no fim do ano passado a gente comprou um Omega. Fiz a última corrida do Campeonato Paulista de Força Livre em 2004 e esse ano fiz o campeonato completo (exceto as 2 ultimas corridas). Eu gostei bastante de andar no Omega. Com ele consegui dois segundo lugar, três terceiros, e cheguei a liderar uma corrida, mas a bomba de direção quebrou faltando 8 voltas e aí acabei chegando em terceiro. Tive muitas outras quebras também. Para o Omega ser rápido e competitivo, seu motor tem que andar no limite. Então, muitas vezes o motor não agüenta. Teve uma corrida que na primeira volta no fim do Sol, quebrou o volante do motor. Ele partiu em 2 e como é uma peça muito pesada ele “voou” quebrando também a barra de direção, câmbio, power kit, pára-brisa e até rachou uma longarina. Ainda bem que ele não “voou” pra dentro do carro! Com tudo isso, terminei o Campeonato em 4o Lugar.

Com esse Omega também andei nas Mil Milhas. Na equipe estava eu, meu pai, o Fabio e André Carreira. Nosso Omega estava muito bem, mas o motor não agüentou e quebrou quando estava amanhecendo. Meu pai largou e eu fui a segunda a guiar. Nunca tinha andado a noite. É muito gostoso. Não dá pra enxergar muita coisa, mas é uma delícia andar com a pista escura. Eu lembro algumas vezes de não consegui enxergar direito e acaba puxando o carro um pouco antes pra fazer uma curva. Quando estava chegando perto da zebra é que eu conseguia ver que estava puxando o carro cedo demais e para a grama! Nessa próxima Mil Milhas, que será 21 da Janeiro, eu devo andar novamente com o mesmo Omega. Porém dessa vez espero não ter problemas de motor, pois estamos colocando um V8 com 450 cc de potência. Esse tem que agüentar!!

No meio desse ano, também andei pela primeira vez em um formula. Fiz um treino num Formula São Paulo da Equipe Iaconneli. Depois desse treino é que eu entendi porque o pessoal que faz carreira em monoposto gosta tanto e raclama do carro de turismo. É uma delícia andar de fórmula. Exige muito mais do piloto e é muito prazeroso de guiar.

Esse ano também andei pela primeira vez num StockCar Light. Andei num carro da Escuderia Lobo, do Camilinho, em um dos treinos coletivos que aconteceram aqui em São Paulo depois de encerrada a temporada de 2005. É muito gostoso guiar o Light. Sem dúvida, o melhor carro que já andei. Por usar pneus nacionais o carro escorrega bastante, mas é uma delícia de guiar.  Ter feito um treino num Light, já foi um sonho realizado.

E 2006? Bom, ainda não sei. O objetivo continua a StockCar Light. Pra isso preciso estou treinando bastante de kart e com o Omega, porque a categoria é bastante competitiva. Se não der pra fazer o campeonato todo, pelo menos algumas corridas, uma pré-temporada eu faço.

Futuro? O objetivo é chegar na StockCar V8. Acho que 2 ou 3 anos de Light e depois já da pra ir pra principal… Bom, esse é o sonho, agora é correr atrás pra chegar lá.

Valeu! Boas festas pra todos e até 2006!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *