Parakart: Chuva atrapalha, mas pilotos do Parakart aceleram em Cotia

Competidores deram algumas voltas no kartódromo da Granja Viana com os karts adaptados e festejaram início da temporada

Os 25 pilotos que disputam o campeonato de Parakart se concentraram neste sábado no kartódromo da Granja Viana para o início da temporada de 2011, marcada pelo apoio da Sabesp, empresa de economia mista que coordena o fornecimento de água, coleta e tratamento de esgotos de 366 municípios do Estado de São Paulo, e do próprio Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

A chuva, no entanto, impediu os pilotos de disputarem a primeira corrida do ano, que acabou sendo cancelada por questões de segurança e remarcada para 9 de abril. No entanto, os competidores não ficaram sem ação: por 15 minutos, eles puderam testar os novos karts adaptados que estreiam neste ano, na quarta temporada da modalidade – a primeira categoria que, em 2009, foi homologada pela atual administração da Confederação Brasileira de Automobilismo, sob o comando do presidente Cleyton Pinteiro.

Domingos “Mingo” Zamora, que organiza o Parakart ao lado do empresário Neidyr Cuy Filho, lamentou a chuva, mas mostrou muito otimismo com o início da temporada:

“Poderia ser melhor sem a chuva, claro, mas foi melhor do que eu imaginava. Precisamos agradecer à Sabesp pelo apoio que ela está dando, porque sem isso não iríamos conseguir melhorar a categoria, e também à CBA, que nos ajudou muito a angariar esse apoio”, comentou Zamora.

Um dos favoritos ao título de 2011 – campeão no ano passado, vice em 2009 e terceiro colocado em 2008 – o piloto Rafael Rodrigues, de 31 anos, teve que guardar a ansiedade para a próxima etapa. Rodrigues, que perdeu a mobilidade das pernas após sofrer um acidente de trabalho aos 17 anos, falou um pouco sobre o certame que começa no dia 9:

“Esse ano o nível do campeonato vai aumentar muito, porque foi isso que aconteceu com o nível dos pilotos. Será bem nivelado, até por causa da regra que implementamos que coloca os três primeiros colocados de uma corrida para largar nos três últimos lugares na etapa seguinte. Isso traz emoção e ultrapassagens, que é o que importa para a gente. Vai vencer o título quem tiver mais regularidade”, disse Rodrigues.

O evento também teve a presença de representantes da Sabesp, do Dr. Jorge Roberto Pagura, Secrétario Estadual do Esporte, Lazer e Juventude de São Paulo, e da Dra. Linamara Rizzo Battistella, Secretária Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, grande apoiadora do campeonato e que destacou a importância da modalidade como modelo de inclusão social para os paratletas:

“É possível garantir qualidade de vida e competição de alto nível para os portadores de deficiência, e fazer com que o esporte incorpore a superação e o desejo de luta desses atletas. Estamos vendo nascer uma nova cadeia de apoios econômicos para a sociedade, que leva isso como exemplo”, declarou a Dra. Linamara Battistella.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *