Pick-Up: Duas picapes completamente diferentes mediram força na pista

Não se tratava de um teste específico para cada tipo de veículo, mas acabou sendo um comparativo inédito entre duas picapes que tiveram a mesma origem, mas seguiram caminhos diferentes. Ambas são Mitsubishi e as duas são modelo L200. As coincidências param por aí. Na última semana realizou-se uma avaliação que colocou na pista do Autódromo Internacional de Curitiba a L200 da K-MED Racing que disputa a Copa Webmotors de Pickup Racing e a L200 Evo Prom2, preparada para provas de Rally Cross Country.

Como se tratava de um autódromo, a picape de pista obviamente levou vantagem sobre a de Rally, com acelerações mais rápidas que a concorrente, utilizando-se de pneus do tipo “slick” da Goodyear que lhe conferiram muito mais aderência no asfalto. Mas o modelo preparado para o Rally impressionou não só pelos 270cv de potência do motor turbo-diesel, alcançados a apenas 3500 rpm, mas principalmente pelo torque fantástico de 70 mkgf, entregues nas rodas com apenas 2.200 rpm. Note-se que se trata de um 4 cilindros em linha, contra os oito em “V” da Pickup Racing, que geram 330 cv a 5500 rpm.

A condução do bólido da K-MED Racing ficou a cargo do piloto/jornalista Betto Delbox, enquanto o modelo de Rally foi conduzido pelo piloto Fellipe Bibas, atual Campeão Brasileiro de Rally Cross Country, defendendo a Equipe Promacchina. Titular da Pickup Racing, o gaúcho Carlos Kray teve que assistir ao teste como espectador, por força do regulamento da categoria, que proíbe qualquer tipo de treino fora das etapas oficiais: “Foi interessante ver meu carro de fora, mas fica sempre um gostinho de “quero também”, porém as regras têm que ser obedecidas e para nós o regulamento é lei”, afirmou o piloto de Novo Hamburgo, RS.

Levando certa desvantagem no asfalto, Bibas conseguiu equilibrar o desempenho nos trechos internos da pista, utilizando a parte de grama, onde a Pickup Racing jamais conseguiria trafegar: “Foi um teste muito legal e uma oportunidade ótima para medirmos forças de forma descompromissada. Se eles são mais rápidos no asfalto, na terra não tem para ninguém”, brincou.

O teste foi acompanhado pelos técnicos da JL Racing, empresa responsável pela preparação e controle dos motores da Copa Webmotors Pickup Racing, que supervisionaram a atividade, controlando os lacres de segurança da unidade motriz. As equipes K-Med CKR e Promacchina contaram também com o apoio do Autódromo Internacional de Curitiba, que cedeu o circuito durante todo um dia para as atividades, na figura do administrador Itaciano Ribas Neto.

PICKUP RACING EQUIPE K-MED

Ficha Técnica

Suspensão: Independente com triângulos duplos e molas helicoidais com barras estabilizadoras. Os amortecedores são hidráulicos, únicos e lacrados, fornecidos junto com o carro.
Direção: Do tipo pinhão e cremalheira com acionamento hidráulico através de bomba elétrica
Rodas: Binno 10,5 x 18 polegadas
Pneus: GOODYEAR EAGLE 285/645 VR18 (dianteiros e traseiros)
Freios: Brembo, disco nas quatro rodas
Motor: Oito cilindros em V, com 330cv de potência, 5.500 rpm e 5.700 cc (5,7 litros), cabeçote de alumínio, alimentação de combustível por um carburador quádruplo (quadrijet) e cárter seco
Câmbio: Eaton de 5 marchas para frente e ré
Combustível: Gasolina Podium Petrobras
Tanque de combustível: Especial para competição, composto por container de borracha preenchido com espuma de alta densidade (opcional) e container de aço provido de válvulas de segurança inclusive para o caso de capotagens. Capacidade: 85 litros
Chassi: Tubular, de tubos de cromo-molibdênio reforçado com chapas de aço, de alumínio e revestimento anti-chama
Carroceria: Construída em fibra de vidro reforçada
Peso mínimo: 1.250 kg. Em ordem de marcha, incluindo piloto com toda vestimenta de competição.
Velocidade Máxima estimada: 240 km/h

MITSUBISHI L200 EVO PROM 2 – RALLY

Ficha técnica

Motor: Diesel, dianteiro, longitudinal, 4 cilindros em linha; duplo comando de válvulas no cabeçote; quatro válvulas por cilindro, pistões especiais Mahle; bielas forjadas, bomba injetora mecânica rotativa, coletor de escape Promacchina dimensionado e confeccionado em aço inox; turbo alimentador BorgWarner  R2S; sistema de refrigeração Promacchina com duplo circuito e dois radiadores; radiadores de água instalados na parte traseira da cabine; radiadores de óleo e combustível e intercooler do turbo alimentador instalados na dianteira.
Sistema de aquisição de dados: AIM com 16 canais. Cilindrada: 3.200 cm³, potência, 270 cv a 3.500 rpm, torque: 70 mkgf a 2.200 rpm.       
Câmbio: Sadev seqüencial de 6 marchas. Tração 4×4 permanente e bloqueado. Diferenciais dianteiro e traseiro com autoblocante mecânico com refrigeração por radiadores independentes.
Tipo pick-up: cabine dupla, montada sobre chassi tubular, 2 lugares, plástico reforçado com fibra de vidro e materiais compósitos. Santantônio integrado na estrutura tubular, segundo regulamento FIA. Estrutura homologada pela CBA e em processo de homologação junto a FIA.
Suspensões: independentes, braços triangulares superiores e inferiores, mola helicoidal, amortecedores Öhlins pressurizados duplos por roda e barra estabilizadora. Curso máximo de 200 mm.
Freios: Tarox, servo-assistidos, circuito duplo. Dianteiros: A disco, ventilado, 330 mm, pinças com dez pistões, traseiros: A disco, ventilado, 330 mm, pinças com seis pistões.
Pneus: Pirelli Scorpion Rally Fase 3 235/85 R 16 desenvolvidos no Brasil pela Promacchina e departamento de competição da Pirelli.
Rodas: TSW modelo 8″ x 16″, alumínio.
Peso: 1.975 kg
Desempenho: Velocidade máxima 190k/h
Consumo: em estrada de terra/areia: 1,8 km/l

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *