Pick-Up: Piloto alerta para os perigos de Tarumã

Campeão de 2007 da Pick-up Racing está preocupado com excesso de acidentes e pede prudência na corrida deste domingo.

O Autódromo de Tarumã, localizado na Região Metropolitana de Porto Alegre, é um dos mais velozes do Brasil. Porém, a falta de áreas de escape também faz da pista uma das mais perigosas. Neste fim de semana, o circuito sedia a 11ª etapa da Copa Nextel Stock Car e a 7ª etapa da Copa WebMotors Pick-up Racing. Esta causa mais preocupação, já que boa parte do grid é formada por pilotos com pouca experiência no automobilismo.

“Além dos que estão em início de carreira, existem outros que ‘esqueceram’ que corrida não se decide na primeira curva”, ressalta o campeão de 2007 da Pick-up Racing, Marcel Wolfart (Exatidão / American Oil). O catarinense pede prudência aos companheiros e lembra que Tarumã é uma pista perigosa. “Um acidente logo na largada da última etapa envolveu oito carros. Mas era na pista de Curitiba, que possui áreas de escape grandes. Aqui é diferente”, alerta.

Na etapa disputada há dois meses na capital paranaense a direção de prova cancelou duas largadas e, mesmo assim, os acidentes foram inevitáveis. “Antes mesmo da largada já bateram no meu carro”, lembra o piloto do carro número 1. Além das batidas na Pick-up Racing, o “abuso” também acontece na Stock Car Light, categoria que era disputada por Rafael Sperafico – piloto de 26 anos que morreu após uma batida no dia 9 de dezembro de 2007, em Interlagos (SP).

Preocupado com o excesso de acidentes nas categorias de base da Stock Car, Wolfart está adotando uma postura mais cautelosa durante as corridas. “Além de utilizarmos os equipamentos de segurança adequados, temos que evitar ao máximo os toques na pista”, diz. “Resolvi fazer esse alerta para que todos lembrem que automobilismo é um esporte seguro, desde que haja respeito entre os competidores”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *