Porsche GT3 Cup: Nas “Três Voltas de Interlagos”, Fábio Viscardi chega à primeira vitória na Cup


TwitterFacebookWhatsAppGoogle+Pin It

Uma forte disputa pela vitória marcou a prova que teve apenas três voltas completas com bandeira verde. Safety car ficou 20 minutos na pista devido a um acidente que envolveu sete carros.

Numa corrida marcada por um acidente entre sete carros, com apenas três voltas completas com bandeira verde e três carros disputando intensamente o primeiro lugar, o paulista Fábio Viscardi alcançou neste sábado sua primeira vitória no Porsche GT3 Cup Challenge Brasil. Estreante na categoria, Viscardi já tinha um índice de 80% de subidas ao pódio, mas nunca no degrau mais alto.

“Não estou me cabendo dentro do macacão. Estou feliz demais”, exultava o piloto. Sobre a corrida, afirmou: “O mais importante foi ter feito uma boa largada. Se eu não tivesse largado bem, o resultado da corrida teria sido outro. Foi uma pena ter acontecido esse acidente, mas corrida tem disso. Quando foi dada a relargada, eu sabia que seria ia ser difícil ‘segurar’ o Ricardo e o Clemente. O negócio era ter calma. A cada volta, eu via um me ameaçando!”.

Dada a largada, Daniel Paludo, segundo no grid, aproveitou a má partida do pole Otávio Mesquita e assumiu a ponta, mas foi ultrapassado por Viscardi na freada do S do Senna. Os acidentes começaram com uma colisão entre Fernando Croce, da Cup, e Carlos Ambrósio, da Challenge. Croce continuou na prova, mas Ambrósio levou a pior e bateu forte no guard-rail do lado esquerdo da pista. A poeira levantada tirou a visibilidade dos pilotos e outra série de batidas começou em seguida. Como consequência do acidente, sete pilotos, todos da Challenge, ficaram fora da corrida logo na primeira volta.

A prova entrou imediatamente em regime de safety car. Foram necessários vinte minutos para se removerem os carros acidentados e se limpar a pista. A relargada foi dada faltando pouco menos de três minutos e uma volta para a bandeirada. Na entrada da Reta Oposta, Ricardo Baptista e Clemente Lunardi ultrapassaram Paludo e iniciaram o ataque a Viscardi. Baptista tentou a ultrapassagem no S do Senna, mas ficou por fora e foi ultrapassado por Lunardi. Este tentou uma manobra semelhante na volta seguinte – a última, com consequências semelhantes: ficou por fora e perdeu o segundo lugar para Baptista. A forte disputa entre os três facilitou a aproximação do quarto colocado, Pedro Queirolo. Todos receberam a bandeirada no mesmo segundo. Marcelo Franco e Marcel Visconde completaram os seis primeiros colocados.

Segundo colocado na corrida, Ricardo Baptista definiu a prova como “muito curta e intensa”: “Todo mundo buscou a vitória o tempo todo. Todos os carros estavam com pneus novos e isso deixou os pilotos muito confiantes. Quando a bandeira verde foi dada, eu sabia que teria apenas três voltas pela frente. Mesmo assim, recebi a bandeirada sem saber que aquela era a última volta”.

Clemente Lunardi, terceiro colocado, parabenizou o vencedor e ressaltou a disputa com Viscardi e Baptista: “Com apenas três voltas de corrida, não havia o que pensar: era ir para cima, mas sempre com calma. Foi tudo muito rápido. Aproveitei uma oportunidade para passar o Ricardo e depois tentei ganhar a posição do Viscardi, mas ao chegarmos ao S do Senna ele defendeu a posição e eu tive que ir para o lado externo da curva. Tive sorte por conseguir voltar à pista sem rodar”.

Após a corrida, os comissários desportivos analisaram todas as imagens e informações disponíveis, e Fernando Croce foi considerado culpado pelo acidente com Ambrósio, embora não tenha tido a intenção de causar a batida. Por causa disso, Croce perderá dez posições no grid da próxima etapa, em Pinhais (PR).

Resultado da prova 12 do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil:

1) 81-Fábio Viscardi, 9 voltas em 27:58.360
2) 27-Ricardo Baptista, a 0.096
3) 7-Clemente Lunardi, a 0.409
4) 13-Pedro Queirolo, a 0.912
5) 70-Marcelo Franco, a 1.701
6) 55-Marcel Visconde, a 2.749
7) 89-Daniel Paludo, a 3.588
8) 36-Charles Reed, a 4.164
9) 52-Roberto Posses, a 4.438
10) 51-Otávio Mesquita, a 4.848
11) 40-Maurizio Billi, a 5.480
12) 9-Guilherme Figueirôa, a 7.974
13) 53-Ronaldo Kastropil, a 8.729
14) 11-Omilton Visconde Jr, a 9.509
15) 61-Fernando Croce, a 15.561
16) 64-Henry Visconde, a 16.827
17) 10-Adalberto Baptista, a 31.880
18) 75-Henrique Assunção, a 35.963
19) 18-Zeca Feffer*, a 2 voltas
20) 63-Sérgio Ribas, a 3 voltas

Melhor volta: Pedro Queirolo (13), 1:40.088, na 9ª volta

* Punido em 30 segundos

Classificação do campeonato após 12 provas
1) Ricardo Baptista, 226 pontos; 2) Clemente Lunardi, 172; 3) Fábio Viscardi, 169; 4) Marcel Visconde, 159; 5) Roberto Posses, 125; 6) Marcelo Franco, 107; 7) Pedro Queirolo, 97; 8) Otávio Mesquita, 80; 9) Guilherme Figueirôa, 79; 10) Maurizio Billi, 76; 11) Zeca Feffer, 67; 12) Daniel Paludo, 59; 13) Tom Valle, 49; 14) Omilton Visconde Jr., 51; 15) Adalberto Baptista, 43; 16) Sérgio Ribas, 33; 17) Charles Reed, 33; 18) Eduardo de Souza Ramos, 30; 19) Esio Vichiese, 29; 20) Ronaldo Kastropil, 27; 21) Henry Visconde, 13; 22) Henrique Assunção, 12; 23) Fernando Croce, 1; 24) Marcos Barros, sem pontos.

Compartilhar
TwitterFacebookWhatsAppGoogle+Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *