Porsche GT3 Cup: Paludo é campeão na última curva

Corrida que encerrou o campeonato no Rio de Janeiro foi uma das mais emocionantes da temporada.

Um título definido na última curva em uma manobra que contou com a participação de um piloto que nada tinha a ver com a briga pelo campeonato. Não é a história do Grande Prêmio do Brasil de F1 de 2008, mas a decisão do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil entre Miguel Paludo e Constantino Júnior, ocorrida na tarde deste sábado (6 de dezembro) no autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. O gaúcho Paludo tornou-se o campeão mais jovem da categoria na última curva da última volta da corrida vencida pelo paulista Marcelo Ometto.


Paludo ganhou o direito de largar na pole position na prova decisiva ao vencer a primeira corrida do dia. Quando a bandeira quadriculada verde e amarela foi agitada, Paludo caiu para terceiro, atrás de Constantino (que havia terminado a prova 15 em segundo lugar) e Ometto. Paludo passou para segundo logo nas primeiras voltas e começou a se aproximar de Constantino. Nas voltas finais, Paludo ficou a apenas 0,5 segundo de Constantino, que precisava apenas do quarto lugar para conquistar o título.


Parecia que a corrida terminaria assim, mas na última volta a roleta começou a girar em sentido contrário. Os dois líderes se aproximaram do retardatário Danilo Fernandez, que havia se atrasado nas primeiras voltas. Na reta anterior à Curva da Vitória, a última do circuito e feita para a direita, Danilo posicionou-se no lado interno e sinalizou para Constantino ultrapassá-lo pelo lado esquerdo. Paludo, que vinha colado no líder, viu um pequeno espaço aberto no lado de dentro da curva e decidiu tentar a ultrapassagem, já que os dois pilotos à sua frente haviam diminuído a velocidade para entrar na curva. Posicionados lado a lado, os três pilotos acabaram colidindo. Paludo e Constantino saíram da pista, mas o gaúcho conseguiu voltar e terminar em segundo lugar, atrás de Ometto. Constantino ficou atolado na brita e não recebeu a bandeirada. Marcel Visconde, Sérgio Ribas, Ricardo Baptista e Clemente Lunardi completaram o pódio.


O acidente entre Constantino, Fernandez e Paludo foi considerado normal pelos comissários desportivos da prova. Ficou no ar a expectativa de que Constantino entrasse com recurso para que o caso fosse julgado em tribunal desportivo, mas horas mais tarde o piloto descartou essa possibilidade ao conversar com o diretor de prova, Sérgio Berti. Constantino ficou com o vice-campeonato após vencer dez corridas em sua primeira temporada completa no Porsche GT3 Cup Challenge Brasil.


Paludo, acompanhado por seus familiares e pela namorada Patrícia, comemorou muito um título que sequer estava em seus planos quando decidiu disputar a categoria. “No começo do ano, meu objetivo era ganhar uma corrida. Comecei subindo ao pódio e, quando venci as duas corridas de Curitiba, passei a pensar no campeonato”, afirmou. Sobre a corrida que lhe deu o título, declarou: “Larguei mal porque a direção de prova autorizou a largada no último instante antes da passagem pela linha. Desaceleri um pouquinho por achar que a largada não seria autorizada, mas foi. Isso me fez perder posições para o Constantino e o Ometto na saída. Daí em diante, lutei para me recuperar e chegar à vitória. Em momento algum deixei de pensar que poderia ser campeão. Na última curva, vi a possibilidade de vencer a corrida e coloquei por dentro para passar. Só depois eu soube que havia conquistado o título”.


Marcelo Ometto, vencedor da prova, também tinha bons motivos para comemorar. Um dos pilotos mais rápidos da categoria, Ometto chegou à sua primeira vitória no Porsche GT3 Cup Challenge Brasil depois de passar perto do degrau mais alto do pódio em várias oportunidades. “Consegui largar bem e quase consegui tomar a liderança do Constantino na primeira curva. O Paludo me ultrapassou e tentei acompanhar o ritmo dele, mas depois achei melhor conservar o terceiro lugar. Mal pude acreditar quando vi os dois fora da pista na última volta! Só pude pensar: ‘Eles dançaram!’. E parti para a bandeirada”, afirmava depois da corrida.


Resultado final da prova 15
1) 77-Miguel Paludo, 19 voltas em 25:22.193, média de 136,468 km/h
2) 00-Constantino Júnior, a 2.030
3) 8-Marcelo Ometto, a 10.491
4) 55-Marcel Visconde, a 23.735
5) 34-Maurizio Billi, a 24.211
6) 63-Sérgio Ribas, a 35.630
7) 99-Tom Valle, a 35.658
8) 3-Luís Zattar, a 36.374
9) 27-Ricardo Baptista, a 36.751
10) 9-Guilherme Figueiroa, a 40.359
11) 78-Haroldo Pinto, a 40.923
12) 5-Antônio Hermann, a 48.951
13) 21-Valter Rossete, a 49.167
14) 36-Charles Reed, a 49.831
15) 7-Clemente Lunardi, a 52.539
16) 10-Adalberto Baptista, a 1:02.584
17) 52-Beto Posses, a 1:15.123
18) 11-Omilton Visconde Jr., a 1 volta
19) 18-Danilo Fernandez, a 1 volta
20) 15-Henry Visconde, a 1 volta
Volta mais rápida: Miguel Paludo, 1:16.264, média de 143,360 km/h


Resultado final da prova 16
1) 8-Marcelo Ometto, 19 voltas em 25:40.718, média de 134,827 km/h
2) 77-Miguel Paludo, a 1.759
3) 55-Marcel Visconde, a 10.451
4) 63-Sérgio Ribas, a 14.697
5) 27-Ricardo Baptista, a 16.450
6) 7-Clemente Lunardi, a 16.778
7) 34-Maurizio Billi, a 18.480
8) 21-Valter Rossete, a 19.173
9) 52-Beto Posses, a 19.725
10) 78-Haroldo Pinto, a 20.722
11) 5-Antônio Hermann, a 34.606
12) 10-Adalberto Baptista, a 35.630
13) 36-Charles Reed, a 52.210
14) 99-Tom Valle, a 1:00.367
15) 11-Omilton Visconde Jr., a 1:09.059
16) 18-Danilo Fernandez, a 1:10.909
17) 00-Constantino Júnior, a 1 volta
18) 9-Guilherme Figueiroa, a 7 voltas
19) 15-Henry Visconde, a 16 voltas
20) 3-Luís Zattar, não largou
Volta mais rápida: Constantino Júnior, 1:15.598, média de 144,623 km/h


Classificação final do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil após 16 provas, considerando o descarte obrigatório dos dois piores resultados (entre parênteses, o total sem descarte):


1) Miguel Paludo, 238 pontos (258)
2) Constantino Júnior, 227
3) Clemente Lunardi, 175 (176)
4) Beto Posses, 174
5) Ricardo Baptista, 171
6) Tom Valle, 159
7) Marcelo Ometto, 134
8) Otávio Mesquita, 114
9) Marcel Visconde, 113
10) Haroldo Pinto, 94
11) Maurizio Billi, 93
12) Sérgio Ribas, 89
13) Antônio Hermann, 87
14) Luís Zattar, 86
15) Valter Rossete, 44
16) Marcos Barros, 40
17) Guilherme Figueirôa, 33
18) Danilo Fernandez, 13
19) Adalberto Baptista, 13
20) Henry Visconde, 12
21) Walter Salles, 10
22) Omilton Visconde Jr., 10
23) Charles Reed, 9

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *