Porsche vence a final, mas Mercedes de Xandinho Negrão leva o título do Império Endurance Brasil

Ricardo Maurício e Marcel Visconde levaram a melhor nas Quatro Horas do Velopark, mas regularidade do piloto da Mercedes falou mais alto; Prova definiu outros seis campeões

Xandinho Negrão é o campeão do Império Endurance Brasil 2020! O piloto da Mercedes conquistou o título neste final de semana ao cruzar a linha de chegada na terceira colocação das Quatro Horas do Velopark. A prova foi vencida por Marcel Visconde e Ricardo Maurício, que competem a bordo de uma Porsche 911 GT3 R. O resultado também deu ao dono do carro #09 o título da categoria GT3.

“Estou muito feliz com essa conquista. Foi um ano diferente: comecei correndo com meu primo André, depois com o Ricardo Zonta e o Ricardo Baptista e, no final, fizemos um trio muito legal nas últimas três etapas com meu pai (Xandy Negrão) e com o Andreas. É nosso terceiro ano na categoria e já conquistamos o bi da GT3 e, pela primeira vez, o título na geral. Quero agradecer especialmente ao Andreas, que guiou muito, na chuva e no seco e fez três stints. Ele está de parabéns”, afirmou Xandinho após a prova.

A prova do Velopark ainda definiu outros seis campeões. Na P1, categoria que reúne os carros mais rápidos do grid, Henrique Assunção e Anderson Toso ficaram com a taça ao cruzarem a linha de chegada na primeira posição entre os protótipos, depois que Pedro Queirolo e David Muffato foram punidos por irregularidades em uma das paradas obrigatórias. A dupla, que competiu a maior parte do campeonato ao lado de Carlos Kray e Fernando Fortes, fez questão chamar os dois para comemorar a conquista inédita. 

“Este é um título que deve, sim, ser dividido por quatro. Foi a força deste quarteto, que esteve unido na maior parte das provas, que tornou possível a conquista deste título. Só tenho a agradecer aos meus companheiros, à toda equipe e à organização do campeonato por este momento fantástico”, afirmou Toso.

“Demorou para cair a ficha de que alcançamos o título da categoria. Chegamos aqui tratando isso como uma possibilidade remota, mas o problema que o Queirolo e Muffato tiveram acabou nos colocando em condição de alcançar este troféu. E sem dúvida isso só foi possível por conta da força e união do nosso quarteto”, completou Assunção.

Fortes, que participou das duas vitórias do quarteto que compete a bordo do protótipo AJR #175, comemorou a conquista: “Estou muito feliz por colaborar com este resultado. Foi um ano de muito aprendizado e de duas vitórias emocionantes aqui no Velopark. Estou muito feliz, tanto por mim, quanto por meus companheiros”, vibrou.

Kray, que competiu as etapas de Goiânia – onde os campeões ficaram em terceiro – e justamente no Velopark – palco da primeira vitória do time campeão – enalteceu a união do time: “Infelizmente tive que ficar fora de duas corridas por conta da Covid, mas o mais importante é de fato poder celebrar este momento em um time que é formado por grandes amigos”.

FAVORITOS CONFIRMAM TÍTULO DA P2 e P3

Com a ausência do protótipo Sigma comandado por Jindra Kraucher e Aldo Piedade Jr. da decisão, o trio formado por Rubens Ghisleni, Lucas e Hardy Kohl não precisava sequer alinhar no grid para ficar com o título. No fim, confirmaram a taça com a segunda colocação na prova vencida por Fernando Poeta e Claudio Ricci.

“Chegamos aqui com o título encaminhando, no fim nem precisávamos ter corrido. Mas tentamos buscar a vitória mesmo assim. Trabalhamos para isso. Infelizmente a vitória não veio, mas nossa regularidade foi essencial ao longo do ano”, afirmou Lucas Kohl, que ao lado do pai e de Ghisleni, venceu três das seis corridas da temporada. 

“Fomos constantes. Tivemos problemas somente em uma corrida e por isso fomos coroados com o título”, afirmou Ghisleni. “Da minha parte só tenho a agradecer aos meus parceiros que guiaram muito ao longo do ano. E parabenizar toda a organização do Império Endurance Brasil, que realizou um campeonato fantástico, mesmo em um ano tão difícil como foi 2020”, completou Hardy Kohl.

Na P3 o título foi de Aldoir Sette, outro franco favorito, que também venceu metade das corridas da temporada. Neste sábado, cruzou a linha em segundo lugar ao lado do jovem Bruno Smielevsk. A vitória ficou com o trio formado por Bruna Tomaseli, Fernando Fortes e Fernando Ohashi. O resultado foi suficiente para assegurar a conquista inédita.

“Este é um título que eu perseguia há muito tempo. É o 18º título da minha carreira de piloto, somando com outras categorias. E são momentos como este que renovam nossas energias para seguir competindo e buscando troféus. Estou muito feliz e ansioso para buscar o bicampeonato em 2021”, afirmou Aldoir Sette na cerimônia de premiação do campeonato.

ESTREANTES CAMPEÕES NA GT4 E GT4 LIGHT

A bordo de uma Mercedes AMG, Léo Sanchez e Átila Abreu dominaram a categoria GT4 em 2020. No total, a dupla que disputou a sua primeira temporada no Império Endurance Brasil ficou entre os três primeiros colocados em todas as seis provas que compuseram o calendário do campeonato. Em três delas foram vencedores: uma em Curitiba e duas no Velopark.

“Este foi nosso primeiro ano no Império Endurance Brasil e terminar a temporada com título logo na estreia é muito gratificante. Só tenho a agradecer a todos que torceram por nós, à minha família, ao Átila e toda a organizção deste campeonato fantástico”, afirmou Sanchez.

“Conseguimos fazer uma grande corrida aqui no Velopark, não só confirmando o título com mais uma vitória, mas também alcançando a quarta colocação na geral, nosso melhor resultado do ano. Estamos muito felizes e agora é trabalhar para o ano que vem. Certamente estaremos de volta e com surpresas”, completou Átila Abreu. 

Já na GT4 Light, Tuca Antoniazi ficou com título tendo conquistado apenas duas vitórias, justamente nas duas primeiras provas do campeonato. Depois, apostou na regularidade, ficando entre os três nas etapas do Velopark, Goiânia e Curitiba.  Desta forma, o modesto quinto lugar na grande final já foi suficiente para garantir a taça de campeão. 

“Foi com emoção do início ao fim”, afirmou Antoniazi. “As Ginettas vinham mais rápido ao longo de toda a temporada, mas conseguimos ser mais regulares, completamos todas a provas e este foi o nosso diferencial para esta conquista. Agora é comemorar, porque a sensação ser campeão é maravilhosa”, finalizou on piloto. 

PAI E FILHO DOMINAM A GT3 LIGHT

A festa de Natal da família Ribas, que compete a bordo de um Aston Martin, será com troféu de campeão exposto em lugar de destaque. Com a vitória deste final de semana, a dupla de pai e filho Sérgio e Guilherme Ribas coroou o amplo domínio que tiveram sobre a Ferrari de Ricardo Mendes e Tom Filho, principais rivais na briga pelo título. No total, Sérgio e Guilherme Ribas conquistaram cinco vitórias em seis corridas.

“Foi um ano fantástico e temos que agradecer também ao reforço do Julio Campos nas etapas de Goiânia e de Curitiba. Ele foi muito importante não só guiando, mas também nos ajudando com toda a estratégia em todas as corridas”, afirmou Sérgio Ribas, “Estamos muito felizes com esta conquista, ainda mais em um ano tão difícil. Vencer em família é um prazer enorme também. Vamos comemorar muito esta conquista”, completou o filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *