Rali-Dakar: Vitória Al Attiyah teve direito até a febre

Nem febre, muito menos um problema na transmissão traseira. As coisas até tentaram conspirar contra o piloto Nasser Al Attiyah, da BMW, mas ele venceu sua primeira especial do Rally Dakar nesta manhã mesmo cheio de complicações.

“Estou encantado por ter enfim ganho uma etapa do rali mais difícil do mundo”, reconhece o piloto do Catar.

Segundo Al Attiyah, ele e os demais pilotos da BMW carregavam muita vontade de acabar com o jejum de triunfos no atual Dakar. “Todos sabem que nós não temos um automóvel do mesmo nível que os grandes concorrentes, e essa era a última etapa difícil na Mauritânia. Queríamos realmente tentar um golpe.”

Ao lado do navegador francês Alain Ghehennec, ele enfrentou um grande drama após o quilômetro 250 da especial. “Não me sentia bem, porque estou com febre há dois dias. Para completar, a 20 quilômetros da chegada, ainda tive dificuldades com a transmissão traseira. Diminuí o ritmo, mas felizmente deu para vencer”, vibra.

Quarto colocado no dia, o francês Stephane Peterhansel conseguiu exatamente o que buscava. “Pretendíamos apenas nos posicionar numa zona intermediária e chegar tranqüilamente para a etapa de amanhã, quando começam as coisas sérias”, explica o líder na classificação geral, com vantagem de 9min56 para o também francês Luc Alphand, outro piloto da Mitsubishi.

“Depois de hoje, só nos resta dizer que tudo anda no caminho certo. Tanto a mecânica, quanto o homem que vos fala”, finaliza Peterhansel, animado com a chance de repetir o feito de 2005 e ser campeão do rali mais difícil do mundo.

Fonte: Webventure

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *