Rally: Calor do deserto castiga Palmeirinha

Piloto brasileiro teve desidratação na especial disputada debaixo de 50º C nos Emirados Árabes.

Depois de passar por um dos maiores sustos de sua carreira, o piloto brasileiro Paulo Nobre, o Palmeirinha (Itaú Private Bank), teve mais um dia difícil no Rally Desert Challenge, 5ª e última etapa do Campeonato Mundial de Rali Cross Country. Na segunda-feira, Nobre capotou sua BMW X3 oito vezes a mais de 140 km/h e saiu ileso, mas nesta terça (30/10) foi nocauteado por uma forte desidratação causada pelo calor de 50ºC próximo a cidade de Moreeb, nos Emirados Árabes.

A etapa de hoje tinha 328 km de trecho cronometrado e Palmeirinha começou a sentir os efeitos da desidratação no ínício da competição. No quilômetro 70 parou o carro na tentativa de recuperar as forças. “Eu senti que estava perdendo a concentração, ficando tonto e com ânsia de vômito. Avisei ao Filipe (Palmeiro) que não estava bem e que a situação podia ficar perigosa. Como um bom navegador apontou um lugar para eu parar o carro debaixo de uma sombra e ficamos ali por uns 20 minutos até eu me recuperar. O médico da prova, que segue o rali de carro, me atendeu e diagnosticou a desidratação, mas me deu o OK para prosseguir assim que eu me sentisse bem. Segui as orientações que ele me passou e fomos parando sempre que eu sentia enjôo ou tontura”, contou Palmeirinha, que ficou na 17ª posição nesta terça-feira.

O principal problema dessa situação, segundo Nobre, é que com a desidratação o piloto perde a noção de distância e não consegue entender as informações passadas pelo navegador. “Aqui nos Emirados Árabes as dunas são enormes, coladas umas nas outras. Ou seja, a descida de uma duna é muito íngreme e quando termina já tem a subida de outro monte de areia, formando quase um ângulo de 90º. Do jeito que eu estava hoje podia errar a avaliação de descida de duna e bater com violência, como se estivesse indo de encontro a um muro”, disse o brasileiro.

Palmeirinha comparou o que passou hoje com o que tem enfrentado os pilotos da principal categoria do automobilismo nacional, a Stock Car, conhecida pelas altas temperaturas no interior dos carros. “O pessoal da Stock Car tem uma idéia do que estou falando, só que acredito que aqui no rali seja ainda pior. A temperatura ambiente está na faixa dos 50ºC e dentro do carro chega a superar os 65ºC. Só que nós do rali temos de ficar seis horas dentro do carro, enquanto o pessoal da Stock fica só uma hora”, comparou Nobre.

Na etapa de hoje o piloto do Catar, Nasser Al Attiyah manteve sua invencibilidade na prova. Ao lado da navegadora alemã Tina Toerner, Nasser venceu a bordo de uma BMW X3 com o tempo de 4h12min51s e lidera o Rally Desert Challenge com mais de 7 minutos de vantagem para o francês Luc Alphand, com um Mitsubishi. Destaque também para o russo Vladimir Chaguin, que colocou o seu caminhão Kamaz na 6ª colocação do dia. Nesta quarta-feira será realizada mais uma etapa com largada e chegada na cidade de Moreeb.


Resultado da 2ª etapa:

1º Nasser Al Attiyah/Tina Toerner (BMW), 4h12min51s
2º Carlos Sainz/ Michel Perin (Volkswagen), a 4min49s
3º Luc Alphand/Gilles Piccard (Mitsubishi), a 6min54s
4º Stephane Peterhansel/Jean Paul Cotret (Mitsubishi), a 10min36s
5º Giniel de Villers/Dirk Von Ziztzewitz (Volkswagen), a 19min07s
6º Vladimir Chagin/Semen Yakubov/Eduard Nikolaev (Caminhão Kamaz), a 42min49s
7º Yeha Alheli/Khalid Alkhendi (Chevrolet), a 1h07min05s
8º Guerlain Chicherit/Matthieu Baumel (BMW), a 1h18min47s
9º Leonid Nouitsky/Oleg Tyupenkin (Mitsubishi), a 1h20min53s
10º Mark Powell/Tim Ansell (Honda), a 1h29min24s
17º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (BMW), a 2h32min09s

Classificação geral da prova após duas etapas:

1º Nasser Al Attiyah/Tina Toerner (BMW), 6h55min49s
2º Luc Alphand/Gilles Piccard (Mitsubishi), a 7min20s
3º Carlos Sainz/ Michel Perin (Volkswagen), a 9min11s
4º Stephane Peterhansel/Jean Paul Cotret (Mitsubishi), a 11min32s
5º Giniel de Villers/Dirk Von Ziztzewitz (Volkswagen), a 22min22s
6º Guerlain Chicherit/Matthieu Baumel (BMW), a 1h25min16s
7º Yeha Alheli/Khalid Alkhendi (Chevrolet), a 1h32min03s
8º Leonid Nouitsky/Oleg Tyupenkin (Mitsubishi), a 2h17min19s
9º Vladimir Chagin/Semen Yakubov/Eduard Nikolaev (Caminhão Kamaz), a 2h22min15s
10º Nicolas Gibon/Bruno Cattarelli (Toyota), a 2h22min28s
22º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (BMW), a 8h51min03s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *