Rally: Carro perde potência e estraga bom resultado de Palmeirinha

No primeiro dia do Rally do Marrocos, brasileiro foi o 16º colocado, mas ganhou a aposta feita com o chefe de equipe.

O primeiro dia de atividades do Rally do Marrocos, 4ª etapa do Campeonato Mundial de Rali Cross Country, trouxe emoções distintas para o piloto brasileiro Paulo Nobre, o Palmeirinha (Itaú Private Bank). O excelente desempenho na trilha marroquina foi ofuscado pela perda de potência de sua BMW X3 nos últimos 50 km do percurso, o que o deixou na 16ª posição nesta terça-feira (25/09).

Como foi o primeiro carro a largar na especial de 245 km, com largada e chegada na cidade de Zagora, Palmeirinha tinha a expectativa de ser alcançado pelos pilotos mais experientes nos primeiros quilômetros, o que resultou até em uma aposta com o chefe da equipe X-Raid, Sven Quandt. Se o brasileiro se sustentasse à frente do segundo carro na largar, nada menos que o espanhol Carlos Sainz, até o ponto de apoio no quilômetro 35, Quandt afirmou que se vestiria de verde no dia seguinte.

Palmeirinha chegou ao apoio na frente de Sainz e ganhou a aposta com Quandt. O espanhol só alcançou Nobre no quilômetro 65 da especial. “Foi bom pela brincadeira com a equipe. Ao chegar na assistência a frente do Sainz, tirei um boné do Palmeiras que tinha no carro e entreguei para o Sven e amanhã ele vai ter que se vestir todo de verde. Pela prova, esse desempenho também foi bom, pois a expectativa é de que tomaríamos cinco segundos por quilômetro, mas conseguimos diminuir isso para apenas dois segundos, o que foi excelente”, disse Palmeirinha.

Mas a alegria do brasileiro durou até o quilômetro 195, quando o motor de sua BMW perdeu potência sem explicação. Junto com o navegador português Filipe Palmeiro, Nobre tentou resolver o problema desligando o carro várias vezes e também chegou a trocar a centralina e a válvula que controla os turbos. “Esse problema arruinou o que poderia ser, no mínimo, um bom resultado. O motor perdeu potência, as rotações não subiam e o carro ficou muito lento. Desligamos tudo, tentando “resetar” a parte eletrônica, mas não deu resultado. Depois trocamos a centralina e a válvula dos turbos, tudo que poderia estar roubando potência do motor, mas nada adiantou. Terminamos assim mesmo, sem passar dos 70 km/h. Se não fosse isso daria para ter terminado entre os cinco primeiros, mas fazer o quê?”, contou Palmeirinha.

Amanhã, o rali terá mais uma etapa com largada e chegada em Zagora, só que com 421 km de extensão, sendo 327 de trechos cronometrados.

Resultado da 1ª etapa do Rally do Marrocos:

1º Giniel De Villiers/Dirk Von Zitzewitz (Volkswagen), 2h27min45s
2º Carlos Sainz/Michel Perin (Volkswagen), a 34s
3º Carlos Sousa/Andréas Schulz (Volkswagen), a 6min17s
4º Nasser Al Attiyah/Alain Guehennec (BMW), a 8min03s
5º Mark Miller/Ralph Pitchford (Volkswagen), a 14min46s
6º Dominique Houssieaux/Jean Michel Polato (Schlesser), a 19min37s
7º Lukasz Komornicki/Rafal Maton (SMG), a 23min45s
8º Isabelle Patissier/Thierry Delli Zotti (Proto), a 24min10s
9º Gerard Benielli/Pascal Gambillon (Renault), a 24min44s
10º Sandor Kis/Peter Czegledi (Autoport), a 28min34s
16º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (BMW), a 43min09s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *