Rally Dakar 2017: Klever Kolberg aponta 15 favoritos nos carros

O Dakar 2017, com largada promocional no dia 1º de janeiro em Assunção, capital do Paraguai, terá a participação de 93 carros. O número de participantes diminuiu um pouco, mas o grid continua grande, e a quantidade de bólidos cresceu.

Vamos começar a lista pelos campeões de 2016. A equipe Peugeot, mesmo tendo liderado o Rally Dakar 2016 de ponta a ponta, vencendo nove das treze etapas disputadas (destas, sete formando dobradinha), não ficou descansando. A equipe francesa vem com um novo carro, o Peugeot 3008 DKR, carregado de aperfeiçoamentos, mas nada revolucionário. O quarteto fantástico de pilotos foi mantido:
1 – O “Mister Dakar”, o francês Stéphane Peterhansel, que com a vitória em 2016 ampliou seu recorde para 12 vitórias (seis em moto, seis com carros) no Dakar;
2 – O espanhol Carlos Sainz, “El Matador”, veterano bicampeão mundial do WRC e campeão do Dakar 2010 com a Volkswagen;
3 – O nove vezes campeão do WRC, o francês Sébastien Loeb, que parte para sua segunda experiência no Dakar. Passou o ano aprimorando sua nova técnica de pilotagem Cross Country;
4 – O francês Cyril Despres, pentacampeão do Dakar sobre duas rodas, largando pelo terceiro ano consecutivo com o buggy francês, e agora mais confiante com a recente vitória no Silk Way Rally em 2016.

Calma, só falamos da Peugeot. A Toyota, que tem quatro pódios nas cinco edições passadas, sempre com o sul-africano Giniel De Villiers, vencedor do Dakar 2009 com a Volkswagen. Mas o time vem muito mais forte. Nesta batalha de titãs ele terá como companheiro de equipe o catariano Nasser Al Attiyah, bicampeão do Dakar (2011 com a Volkswagen e 2015 com a Mini).

A vinda de Nasser já rendeu o título do FIA Copa do Mundo de Cross Country Rallies para a Toyota. Nasser venceu as cinco etapas que disputou pilotando o protótipo Hilux V8, que ficou ainda mais forte com o novo regulamento que permite um restritor de ar de maior diâmetro. No rastro da Peugeot, os japoneses criaram uma nova pick-up 4×2, que ganhou o nome de Toyota Hilux Evo. O carro foi desenvolvido pela Toyota Gazoo Racing com o objetivo de tirar proveito das vantagens que o regulamento dá aos carros com tração apenas em duas rodas: menor peso, maior curso de suspensão, sistema de controle de pressão dos pneus. Nasser já mostrou que está confortável com o 4×4, e ainda não decidiu qual sua opção para o Dakar 2017. A certeza é que ele parte em busca de sua terceira vitória, a primeira dos japoneses na geral do Dakar.

Também fazem parte da esquadra o espanhol Nani Roma, vencedor do Dakar 2004 com uma motocicleta KTM e 2014 com um Mini. O quarto piloto é o sul-africano Leeroy Poulter, quinto colocado em 2016.

Vejam, só falamos de duas marcas e já temos 8 nomes muito fortes.

A Mini também quer voltar ao topo do pódio com as quatro vitórias de 2012, 2013, 2014 e 2015. Os alemães da X-Raid praticamente criaram um novo Mini, mais aerodinâmico, com melhor balanceamento e dirigibilidade, ainda mais veloz. A nova arma para conquistar a quinta vitória da equipe tem um centro de gravidade mais baixo, foram encontradas soluções para chegar aos 184 km/h de velocidade máxima. É menos do que os 200 km/h do Peugeot, mas estamos falando de um genuíno 4×4. O finlandês Mikko Hirvonen, quarto colocado na sua estreia em 2016, vem mais experiente, tendo o árabe Yazeed Al Rahji no time que sofreu uma baixa. O americano Brice Menzies faria sua estreia no Dakar, mas ele sofreu um acidente durante a quebra de recorde de salto em distância com carros, no mês de agosto. Recentemente precisou passar por mais uma cirurgia e ainda não tem condições de participar. Sorte do argentino Orlando Terranova que teve um upgrade para o novo MINI John Cooper Works Rally, abrindo uma vaga para os clientes, entre eles o brasileiro Sylvio de Barros, que pilotará o fantástico MINI ALL4 Racing.

Para refrescar a memória, o número cresceu para 11 pilotos top com máquinas e equipes vencedoras. Poderíamos colocar no bolo o russo Boris Garafulic, tradicional cliente da Mini que sempre frequenta os Top 5 do Dakar, além do espanhol Xavier Pons que vem com sua Ford Ranger V8. Mas lembram do carro vencedor de 2016, o Peugeot 2008 DKR. Sim, ele estará presente. O francês Romain Dumas e o árabe emiradense Sheikh Khalid Al Qassimi colocaram um saco de dinheiro para alugar duas espaçonaves e toda a estrutura de apoio.

Então teremos uma disputa bastante acirrada. Desde a largada, cada quilômetro será decisivo, já que a grande qualidade e boa quantidade resulta em 15 favoritos, ou pensando de outra forma, apesar dos 9800 km, não há espaço para erros.

Fote: UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *