Rally Dakar: Dakar continua na América do Sul em 2011

Rápida confirmação ajudará Klever Kolberg e o Valtra Dakar Eco Team a planejar com maior antecedência a participação na prova em janeiro do próximo ano.

Depois de duas edições na América do Sul, os organizadores do Rally Dakar anunciaram nesta terça-feira (23) que a competição acontecerá novamente na Argentina e no Chile em 2011. “Eu fico muito feliz com esta notícia, porque, em primeiro lugar, mostra que o Chile recuperou sua confiança e vai se restabelecer da tragédia que passou por ali recentemente, e também porque esta me parece a melhor alternativa quando se lembra que a volta do Dakar à África poderia significar uma exposição a riscos que não fazem parte do espírito desta prova”, afirmou Klever Kolberg, piloto do Valtra Dakar Eco Team, e um dos defensores da permanência da prova no continente sul-americano.

Havia uma forte tendência pela volta ao continente africano, mas com um novo trajeto que evitaria os países onde as ameaças terroristas se faziam mais presentes. A alternativa, no entanto, não se mostrou viável e a organização da prova apressou-se em confirmar pelo terceiro ano consecutivo a realização do Dakar em território sul-americano. “Como competição, o Dakar aqui na América do Sul é tão desafiador quanto na África. O regulamento é o mesmo, assim como a quantidade de quilômetros e etapas, o número de competidores e a qualidade das equipes e equipamentos, os terrenos, a temperatura, é tudo muito semelhante. Mas sempre com maior segurança e facilidade para o apoio”, enumerou Kolberg. “E com o diferencial da grande presença de público”.

Segundo uma nova enviada pela assessoria da ASO (Amaury Sports Organization, empresa organizadora do Dakar), o secretário de turismo argentino, Enrique Meyer, mostrou entusiasmo em voltar a receber o rali. “Ter o Dakar novamente é um sonho tornando-se realidade para a Argentina. Nos últimos dois anos conseguimos mostrar a mais de 190 países as nossas paisagens e nosso povo, graças ao esporte. Estamos imensamente orgulhosos em dar as boas vindas ao Dakar novamente e vamos trabalhar duro para sediarmos esta grande competição”, disse.

A organização também ouviu o ministro dos esportes do novo governo do Chile, Ruiz Tagle, que destacou a importância de sediar o rali após os terremotos que devastaram boa parte do país em 27 de fevereiro. “É uma honra para o Chile ser confirmado como co-sede do Dakar 2011. Estamos convencidos de que este festival do esporte é a maneira perfeita de mostrarmos locais únicos do nosso país ao restante do planeta. Gostaríamos de sublinhar a importância deste evento em uma época na qual o Chile ainda está sofrendo as conseqüências de um terremoto devastador. Este Dakar irá nos ajudar a olhar mais adiante e demonstrar que nosso país é capaz de dar a volta por cima”, afirmou.

A organização do Dakar destacou que continua trabalhando em vários projetos para os próximos anos, em especial a possibilidade de retornar ao continente africano, como vinha sendo especulado desde o fim da edição deste ano. No dia 29 de abril, em Paris, a ASO divulgará em coletiva de imprensa o roteiro do Dakar 2011.

“Com esta informação, nós já podemos começar o trabalho de planejamento da equipe para 2011. Nos próximos 12 meses nós pretendemos participar tanto do Dakar como do Rally dos Sertões, que acontecerá em agosto, utilizando mais uma vez o etanol como combustível e consolidando esta categoria”, afirmou Klever, que foi o primeiro competidor da história do Dakar a disputar a mais difícil prova do off-road mundial usando o combustível brasileiro derivado da cana de açúcar.

“Sabendo que o Dakar será na América do Sul, além de planejar toda a logística de abastecimento, posso identificar as sinergias entre as duas competições pensando em conquistar um melhor resultado”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *