Rally dos Sertões: Levantamento segue para 4ª etapa

Diretor técnico do Rally dos Sertões concluiu as três primeiras especiais da competição. Trabalho continua nesta semana

Desde a última quarta-feira (5) realizando o levantamento terrestre do roteiro que desafiará pilotos e equipes na 18ª edição do Rally Internacional dos Sertões, o diretor técnico Edu Sachs continua o trabalho nesta semana. Três etapas já foram planilhadas, com leves alterações em relação ao levantamento aéreo feito há cerca de dois meses.

A competição começa no dia 10 de agosto com o Super Prime e a largada em Goiânia. A primeira etapa, segundo Sachs, terá o cascalho como piso predominante. “O percurso é muito bonito, mas bastante técnico, com muitas estradinhas travadas, riachos, pedras e muitas, mas muitas lombas e lombadas”, detalhou. “Além disso, não será necessário o abastecimento para as motos nesta especial”, disse.

A segunda etapa, que será disputada no dia 12 de agosto, também exigirá técnica de pilotos e navegadores. “O segundo dia está fantástico, com muitas trilhas por fazendas e trechos de serra. É uma especial muito seletiva e terá de tudo um pouco. O visual continua incrível, com trechos técnicos, bem sinuosos e com estradinhas que lembram muito a Serra da Canastra (MG). Os rios continuam presentes com muitas travessias”, apontou Sachs, que enfrentou alguns problemas nesta fase do levantamento.

“Encontramos algumas pontes sem condições de travessia, mas houve outros entreveros que nos forçaram a elaborar desvios. Tivemos que desmontar algumas porteiras para poder atravessar, mas os proprietários de algumas fazendas não autorizaram a passagem da prova”, descreveu. “Felizmente, conseguimos contornar os problemas. Fizemos um novo desvio que não deixou nada a desejar ao roteiro aéreo previsto”, afirmou.

O terceiro dia de percurso foi uma prévia do que os competidores poderão enfrentar durante o rali. “Ao atravessar um pequeno riacho, tivemos um problema com a nossa L200. Algumas pás da hélice que ventila o radiador quebraram e o danificaram. Tivemos que abortar o final do terceiro dia e seguir para a manutenção, mas depois concluímos. Haverá lindas trilhas, muitos trechos de serra, pontes e mais riachos”, descreveu.

“Teremos uma especial de mais ou menos 220 quilômetros com muitas zonas de radar para travessias de pontes. O deslocamento inicial é de 29,6 quilômetros e o deslocamento final deve ficar por volta de 160 km, mas ainda vamos confirmar a extensão”, comentou o diretor técnico da Dunas.

“O rali vai começar com um alto nível e tudo indica que a tendência é só aumentar”, concluiu.

Mais informações para as equipes participantes podem ser consultadas com Sabrina Proença, através do telefone (11) 4191-0133, ou pelo email sabrina@dunas.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *