Rally dos Sertões: Sertões premia campeões em 19 categorias, além das gerais

Entre motos foram oito subdivisões; quadris, carros e caminhões tiveram três, seis e duas, respectivamente

O Rally Internacional dos Sertões terminou no último dia 20 em Fortaleza (CE), mais precisamente no Beach Park. Foram cerca de 4.500 quilômetros percorridos em dez dias, entre Goiânia (GO) e a capital cearense. Largaram 155 veículos, entre motos, quadriciclos, carros e caminhões. Destes, 112 chegaram ao destino final da 18ª edição da segunda maior prova fora-de-estrada do planeta. Apenas alguns, entretanto, foram os campeões de suas respectivas categorias.

Além dos vencedores gerais – Marc Coma (motos); Rafal Sonik (quadris); Guilherme Spinelli e Youssef Haddad (carros); e Marcos Cassol, Rodrigo Mello e Davi Fonseca (caminhões) -, outras 19 categorias foram premiadas. Motos e carros foram os veículos com maior número de subdivisões.

Mais sete campeões nas motos e três nos quadris
Bicampeão do Dakar, Coma faturou sua primeira vitória na maior aventura brasileira sobre rodas entre todos que disputaram em duas rodas e também na categoria Super Production Over – válida pelo mundial da FIM (Federação Internacional de Motociclismo) para motos com mais de 450 cm³ de cilindrada até 1300cc. Com o quarto lugar no Sertões, o francês David Casteu venceu a etapa do campeonato mundial de cross country na categoria Super Production 450 – motocicletas e protótipos com motorização a partir de 250 até 450 cm³ de cilindrada – e, de quebra, conquistou seu primeiro título mundial.

Segundo colocado na geral, o mineiro Felipe Zanol foi o campeão na Production 450 -válida pelo mundial da FIM para motocicletas de série até 450cc, dois e quatro tempos. Laurent Lazard, na Production Over – para motos de 450cc até 700cc.

Pelo Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country, na categoria Sport – motocicletas com motorização dois tempos até 380cc ou motorização quatro tempos até 700cc -, que valeu pontos pelo nacional da modalidade, o vencedor foi Guto Klaumann; assim como Marcos Finato, na Super Production – motos e protótipos a partir de 250cc até 1300cc com preparo livre -; Felipe Zanol, na Production – motos até 450 cm³ de cilindrada, de dois e quatro tempos, seguindo normas FIM, e motos off-road produzidas no Brasil de até 700cc. Pela categoria Brasil até 450cc – motos até 450cc, de dois e quatro tempos, produzidas no país com preparo livre – o campeão foi Dautim Cimetta.

Em quatro rodas, mas ainda com o corpo exposto, o polonês Rafal Sonik, conhecido como “Super Sonik”, estreou com o pé direito no Sertões. Faturou o título no geral dos quadriciclos e também na categoria Quads – que faz parte do mundial FIM. Francinei Costa foi o campeão pela Campeonato Brasileiro na categoria Quadris Extreme – máquinas com motorização de até 1300cc com preparação livre, tração 4×2 ou 4×4 -, enquanto Tom Rosa venceu na Quadris 450 – quadriciclos com motorização de até 450cc com preparação livre, tração 4X2 ou 4×4 -, para veículos com até 450 cm³ de capacidade.

Carros e caminhões: seis campeões em quatro rodas e dois nos peso-pesados
Ao conquistar o tricampeonato do Rally dos Sertões, o primeiro ao lado do navegador Youssef Haddad, Guilherme Spinelli também faturou o título na categoria Protótipo T1 – veículos com produção nacional e pelos menos mil unidades produzidas durante 12 meses consecutivos. Os vice-campeões deste ano, Klever Kolberg e Flavio França, ganharam a prova na Protótipo T1 – Etanol.

Ao completar o maior rali nacional em terceiro lugar, Paulo Nobre “Palmeirinha” e Luiz Carlos Palu foram os campeões pela T1 FIA – protótipos homologados de acordo com o anexo J da FIA (Federação Internacional do Automóvel). Luiz Facco e Silvio Deusdará levaram a melhor na Super Production – participam veículos com menos de mil unidades produzidas -; como Sven Fischer e João Luiz Stal, na T2 FIA – veículos com o mínimo de mil unidades produzidas durante 12 meses consecutivos homologados pela FIA para competições de rali cross country-; e Victor Valente e Daniel Simon, na Production T2 – veículos com o mínimo de mil unidades produzidas, tendo como comercialização inicial de veículo normal de rua (picapes, sport utilitys ou utilitários) e posteriormente adaptados e adequados ao uso em competições ou rallys.

Com apenas duas categorias, os caminhões se dividiram em veículos leves – mínimo de 3.500kg – e pesados – peso mínimo de 4.800kg. O trio formado por Marcos Cassol, Rodrigo Mello e Davi Fonseca, vencedores do rali no geral dos pesos-pesados, sagraram-se campeões entre os caminhões leves, enquanto Ulysses Marinzeck, Cesar Botas e Adriano Silva, trio quinto colocado entre os dez caminhões, faturou o título entre os pesados.

As categorias Carro Super Prodution e Geral Caminhões e Caminhões Pesados estão sob judice em razão da intenção de recurso do carro 338 e do caminhão 405 ao TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo).

Confira a tabela com todos os campeões do 18º Rally Internacional dos Sertões:
Motos
Geral – Marc Coma (ESP) – KTM 690
Mundial FIM Super Production Over – Marc Coma (ESP) – KTM 690
Mundial FIM Super Production 450 – David Casteu (FRA) – Sherco 450
Mundial FIM Production Over – Laurent Lazard (URU) – KTM 690
Mundial FIM Production 450 – Felipe Zanol (BRA) – Honda 450
Campeonato Brasileiro Sport – Guto Klaumann (BRA) – Yamaha 450
Campeonato Brasileiro Super Production – Marcos Finato (BRA) – KTM 525
Campeonato Brasileiro Production – Felipe Zanol (BRA) – Honda 450
Campeonato Brasileiro Brasil até 450cc – Dautim Cimetta (BRA) – Honda 300

Quadris
Geral – Rafal Sonik (POL) – Yamaha 900
Mundial FIM Quads – Rafal Sonik (POL) – Yamaha 900
Campeonato Brasileiro Quadris Extreme – Francinei Costa (BRA) – Yamaha 700
Campeonato Brasileiro Quadris 450 – Tom Rosa (BRA) – Yamaha 450

Carros
Geral – Guilherme Spinelli/Youssef Haddad (BRA) – Mitsubishi Triton SR
Protótipo T1 – Guilherme Spinelli/Youssef Haddad (BRA) – Mitsubishi Triton SR
Protótipo T1 – Etanol – Klever Kolberg/Flavio França (BRA) – Protom
T1 FIA – Paulo Nobre “Palmeirinha”/Luiz Carlos Palu – BMW X3
T2 FIA – Sven Fischer/João Luiz Stal – Mitsubishi Pajero
Super Production – Luiz Facco/Silvio Deusdará – Mitsubishi L200
Production T2 – Victor Valente/Daniel Simon – Toyota Hilux

Caminhões
Geral – Marcos Cassol/Rodrigo Mello/Davi Fonseca (BRA) – Ford F4000
Caminhões Leves – Marcos Cassol/Rodrigo Mello/Davi Fonseca (BRA) – Ford F4000
Caminhões Pesados – Ulysses Marinzeck/Cesar Botas/Adriano Silva (BRA) – Ford Cargo 1722

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *