Rally: Dupla da ProMacchina viveram síndrome de Spa no Rally da Independência

Primeira vitória do ano escapa das mãos de Bibas e Cavassin.

Na véspera do Grande Prêmio da Bélgica de F1, quando uma punição de 25 segundos ao vencedor deu a vitória ao brasileiro Felipe Massa, Fellipe Bibas e Emerson Cavassin viveram momentos semelhantes aos vividos pelo inglês Lewis Hamilton, o primeiro ao cruzar a receber a bandeirada de chegada ontem (domingo) no circuito de Spa-Francorchamps. Depois de terem vencido quatro das cinco provas especiais disputadas na região de Tunas do Paraná (PR), a dupla da equipe ProMacchina viu escapar o que seria a primeira vitória de ambos na atual temporada, resultado que criaria uma situação inédita no rally brasileiro: o empate absoluto entre os três primeiros classificados no certame. A punição de tempo de três minutos imputada pelos comissários esportivos do rally, porém, foi acatada sem problemas pelos atuais campeões brasileiros, como explica Bibas:


 


“Depois de vencer a quarta prova especial apesar de um pneu furado a oito quilômetros do final. Fizemos a troca no trecho do deslocamento ao parque de apoio, mas infelizmente isto nos fez estourar nosso tempo em três minutos, o que nos valeu uma punição equivalente a esse atraso. Foi uma pena, pois nos divertimos muito com as dificuldades e ao vencer quatro das cinco especiais do dia mostramos o quanto somos competitivos e que o campeonato ainda está totalmente em aberto. A vitória seria a coroação de um fim de semana dos mais agradáveis em termos de pilotagem e navegação”


 


A adição de três minutos ao tempo de Bibas e Cavassin deu a vitória aos paulistas Jean Azevedo e Youssef Haddad. Como comparação, vale ressaltar que nas provas do Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade o coeficiente de penalização é de 10 segundos somados no tempo total para cada minuto de atraso. Em terceiro lugar ficaram Maurício Neves e Clécio Maestrelli, que também defendem a equipe ProMacchina; Neves ainda se ressente do deslocamento do ombro direito, o que limitou sua performance no final de semana chuvoso:


 


“Contrariei todos os conselhos e recomendações do meu ortopedista para fazer este rally. Afinal, não poderia ficar de fora de uma prova que só aconteceu por causa do apoio que recebi dos meus amigos e patrocinadores.”


 


A prova foi disputada em piso extremamente escorregadio em todas as cinco especiais, que aconteceram sobre pavimentos típicos de estradas municipais, subidas, descidas e travessias de rios, tudo isso em meio a uma área de reflorestamento de pinus adulto. Com o resultado da terceira etapa o Campeonato Brasileiro de Cross Country passa ter Azevedo e Haddad como novos líderes, com 47 pontos, contra 45 de Neves e Maestrelli e 43 de Bibas e Cavassin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *