Rally: Dupla juizforana defende a cidade em competição internacional

Os nomes que estão colocando Juiz de Fora no topo das competições de rallye se preparam para um final de semana mais do que especial. Nos próximos dias 21, 22 e 23 de setembro, em Ouro Branco (MG), o piloto Fabiano Altomar e o navegador Marcelo Leitão participam de uma jornada tripla. A equipe FBA Rallye disputa os pódios da 6ª etapa do Campeonato Sulamericano, 6ª Etapa do Campeonato Brasileiro de Rallye e a da 4ª fase do Mineiro de Rallye.

 


De acordo com Marcelo Leitão, “serão 12 equipes na categoria N2, fora as equipes das categorias A8, A7, A6, N4 e Cross Country. Desse número, seis são considerados fortíssimos, como os dois Celtas da equipe oficial da Chevrolet.” No entanto, se depender do histórico da dupla, o resultado desse rallye de velocidade será bastante positivo. “Iremos enfrentar muitos deles pela primeira vez, mas continuar na liderança do Mineiro e conquistar o pódio no Brasileiro e no Sulamericano é a nossa meta”, afirma. Um ideal cada vez mais real, afinal “já temos em nosso currículo um terceiro lugar no Brasileiro (conquistado em 2006) com o carro antigo, com o veículo novo não podemos esperar menos”, confirma Leitão. Confiança que se estende aos importantes patrocínios conquistados, como Cerveja Itaipava e Repsol Lubrificantes, e o apoio de empresas, como Fba Imports Auto Center, Delta Fiat e Maneco Pneus.



A equipe FBA Rallye é consciente que a disputa será bastante acirrada, especialmente porque, segundo o piloto Fabiano Altomar, “é uma prova internacional de longa duração, com seis especiais sábado e cinco no domingo.” O navegador Marcelo Leitão acrescenta que “serão 184 km de trechos cronometrados enquanto o campeonato mineiro tem apenas 70 km de especiais, ou seja, mais do que o dobro.” Somados aos 232,95km de deslocamentos, a prova soma um total de 417,25 km. A expectativa é grande, já que “será uma maratona de alta velocidade, que acontecerá ao redor de Ouro Branco, Ouro Preto e Mariana. A pista de Ouro Branco é considerada a melhor do Brasil, trechos de retas e curvas de alta velocidade mesclados com 30% de trechos altamente técnicos e travados. Já nas outras cidades mineiras, o percurso predominante é travado, sinuoso e estreito”, explica o navegador. Ele conta que “para adequar as pistas mineiras ao regulamento do Campeonato Sulamericano, o trajeto cronometrado foi alongado e ainda teremos dois trechos inéditos até mesmo para os mineiros.”


Todos esses fatores fazem com que este rallye em Ouro Branco seja diferente dos outros anos. E isso, segundo os responsáveis pela ida do Sulamericano a Ouro Branco, inclui “a estrutura física das equipes, o apoio mecânico, o nível de preparação dos carros e até mesmo a extensão e grau de dificuldade das especiais.” Uma prova dessa singularidade é o fato de que não há mais vagas disponíveis em hotéis e pousadas na pacata cidade de Ouro Branco e redondezas. São esperadas, além das equipes brasileiras, competidores e mecânicos da Argentina, Equador, Bolívia, Paraguai, Uruguai e Chile, empresas de peças e componentes automotivos, patrocinadores, mecânicos, investidores, olheiros, jornalistas nacionais e internacionais, neste que é considerado um “super rallye, incomum em terras mineiras e brasileiras”, comemora Marcelo Leitão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *